fbpx

5 documentários para ver no seu #fiqueemcasa

Fabiana Honorato

Por Fabiana Honorato

 

fiqueemcasa


O que você gosta de ver quando está de boas? Eu já contei um pouco do que me atrai, e quase tudo está no streaming. Além de filmes e séries, eu me jogo nos documentários também, e a maioria que vejo está na Netflix.

Confesso que é um costume que herdei de meu pai. Aos domingos, quando eu e minha irmã queríamos ver programas pra adolescentes, meu pai assistia o ciclo de vida dos gafanhotos, ou algo parecido, na TV Cultura.

Clique e Assine o 40EMAIS e ganhe acesso completo ao conteúdo exclusivo do Portal, como Workshops e Mentorias, além de muitos descontos em lojas, restaurantes e serviços!

Nada contra a Cultura, é um dos poucos canais de TV aberta que eu ainda vejo (Roda Viva, um clássico da segunda-feira à noite por aqui). Cresci na companhia de Bambalalão, É proibido colar, Anos Incríveis, Confissões de adolescente e o Mundo da Lua. Tudo programa da Cultura.

Mas, aqueles documentários de domingo… não dava! Até meu pai dormia, mas se agarrava no controle remoto e a gente não ousava mudar de canal!

Tirando os gafanhotos e os outros animais que habitavam minha tevê aos finais de semana, eu aprendi a gostar dos documentários. Veio a faculdade de Jornalismo, e vi muitos também, às vezes durante a aula ou como pesquisa. 

E com a maravilha do streaming, eu pude dar um novo tom aos documentários do meu domingo. Acho que gosto tanto porque alia o conteúdo informativo e a pesquisa histórica ao cuidado da edição de um filme. Claro, são vários estilos e formatos, mas tenho certeza que você deve ter os seus favoritos. 

E já que estamos de novo em tempos de #fiqueemcasa, separei aqui os meus top 5 documentários. E, prometo, não vão te dar sono como os que meu pai via. Confere aí:

Anne Frank

Ainda farei um texto sobre os filmes da temática do holocausto, mas esse documentário já vale a pena só pela sensível narração da diva absoluta Helen Mirren. Ela lê trechos do Diário de Anne Frank, dentro dos cômodos do esconderijo que a família ficou, entre julho de 1942 e agosto de 1944, na ocupação nazista da Holanda. No presente, uma adolescente percorre locais históricos para entender o contexto do mundo de Anne, enquanto cinco sobreviventes nos comovem ao contar o que viveram e carregam desta tragédia liderada por Adolf Hitler.

Indústria da cura

Trago polêmica! Esse é daqueles documentários que nos deixam com mais perguntas do que respostas, pois abordam aspectos de saúde e estilo de vida. Começa quebrando todas as verdades difundidas sobre as maravilhas dos óleos essenciais. Passa pela ideia do sexo tântrico como terapia, o leite materno para outras finalidades e até uso do veneno de abelha para tratar rugas. Vale a pena ver, até pra poder criticar!

Gabo

fiqueemcasa

Eu já devo ter falado aqui sobre o autor que me faz querer reler seu livro assim que acabo a última página. Sim, é o colombiano Gabriel Garcia Márquez. Esse documentário traz muitas histórias sobre a vida e o processo criativo do escritor, um dos principais nomes do chamado realismo mágico na literatura latino-americana. É de 2015, mas quando se trata de Gabo, será sempre atual!

Minha história

fiqueemcasa
|Copyright Netflix

Michelle Obama não é apenas a mulher à frente, ou, no máximo, ao lado de um dos presidentes mais carismáticos da história moderna nos Estados Unidos. Ela é uma cidadã engajada, uma filha dedicadíssima, mãe presente, profissional comprometida e, também, a mulher do primeiro negro no comando da Casa Branca. Esse documentário nos coloca nos bastidores da turnê de lançamento do livro homônimo, mostrando a ex-primeira-dama com sua equipe, filhas, família e o marido, claro. Dica: veja depois de ler o livro!

Sérgio

fiqueemcasa
Ana de Armas , Wagner Moura |Copyright Netflix

Esse é da linha que não combina com pipoca, mas que mostra o quanto certas pessoas parecem nascer pra fazer a diferença no mundo. Conta a vida do alto comissário de direitos humanos da ONU, o brasileiro Sérgio Vieira de Mello. O documentário trata precisamente do ataque terrorista no Iraque, que o matou, colocando o ponto de vista de vários envolvidos nessa tragédia de motivação política. Acho importante como documento histórico e para entendermos alguns conflitos entre certos países até hoje. Também dá pra ver essa história no filme Sérgio, com Wagner Moura no papel do brasileiro ilustre. 

LEIA TAMBÉM

Fotos colunistas Fabiana Honorato
Últimos posts por Fabiana Honorato (exibir todos)
0 0 votos
Classifique este artigo
Assine
Notificar de
guest
1 Comentário
Mais antigos
Mais novos Mais votados
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
Emmanuel Luiz
Emmanuel Luiz
7 meses atrás

Eu tb assistia Anos incríveis kkkkk top!
Ótimas dicas🖖🏽

Scroll to top
1
0
Eu quero saber a sua opinião. Comenta aqui em baixo e vamos discutir esse assunto!!x
()
x