fbpx

Como começar a ter relacionamentos afetivos iluminados

Fotos colunistas elis borsoi

Por Elis Borsoi

 

pexels photo 414032Conclui esta semana a leitura de dois livros do autor Eckhart Tolle, “O Poder do Agora” e “Praticando o Poder do Agora”, e vou compartilhar nesta coluna um conteúdo sobre a visão sistêmica e complementar com os ensinamentos dele, pois acredito que vai agregar valor ao seu processo de ampliação da consciência e autoconhecimento.

Clique e Assine o 40EMAIS e ganhe acesso completo ao conteúdo do Portal, como Workshops e Mentorias, além de muitos descontos em lojas, restaurantes e serviços!

Muitas pessoas agem nos seus relacionamentos afetivos de maneira inconsciente, ou seja, “ligando” seu piloto automático e se comportando da maneira que sentem vontade de fazer sem pensar antes de agir. Isso acontece devido uma lealdade ao lado doentio do sistema familiar, ou seja, para ser fiel aos pais e/ou antepassados que também vivenciaram dinâmicas familiares semelhantes. Isso acontece quando reprimem os sentimentos vividos na infância. Quanto mais escondidos e negados estes sentimentos, mais eles se afloram nos momentos de raiva, ciúme, manipulação, controle, cobrança, medo, dor, necessidade de ter sempre razão, julgamento e mágoa durante os conflitos nos relacionamentos afetivos. Neste momento, a sombra e a inconsciência ficam no comando da mente e do corpo.

Segundo o autor Eckhart Tolle, o desejo de ter um relacionamento amoroso é universal porque as pessoas acreditam que a paixão, o “amor”, pode libertá-las do medo, da necessidade e do vazio que fazem parte da condição humana em seu estado de não iluminação, ou seja, buscam a solução dos seus problemas fora, nos outros, e não dentro de si. 

Quando as dolorosas sensações de medo são muito fortes é muito provável que uma pessoa veja o outro como uma possível causa de todas essas sensações. Assim, projeta nesta pessoa essas sensações e por isso a agride com toda a raiva que é parte do seu sofrimento. Esta agressão pode despertar no outro também o desejo de agredir.

Viver o presente, focar na respiração e nas sensações do corpo, fazer apenas algumas visitas ao passado e ao futuro são as ações que este autor sugere em alguns momentos dos livros. Portanto, sempre que o seu relacionamento não estiver bom, sempre que sentir que uma “loucura” veio à tona, fique feliz, pois o que estava inconsciente está vindo a luz. 

Aceite os sentimentos relatados anteriormente, por exemplo: se houver raiva, não negue, apenas aceite e observe o que vem a sua mente e o que sente no seu corpo. Se perceber que deseja amor e atenção, perceba que existe uma criança interior precisando de ajuda, neste momento apenas a acolha e cuide dela com amor e carinho. Durante estes movimentos, sua consciência está entrando no comando da mente e do corpo.  Aceite que este relacionamento existe para trazer aprendizados e tornar você mais consciente e iluminado(a). 

Se você tem o hábito de colocar no outro a responsabilidade da sua infelicidade, você está colocando nesta pessoa a responsabilidade da sua felicidade. Logo, é muito importante assumir esta responsabilidade estando no presente para ter mais consciência dos seus comportamentos e desfrutar a vida com mais sabedoria e plenitude.

LEIA TAMBÉM

Elis Borsoi
0 0 vote
Classifique este artigo
Assine
Notificar de
guest
1 Comentário
Mais antigos
Mais novos Mais votados
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
Elis Regina Borsoi
Elis Regina Borsoi
6 meses atrás

Muito bom, Elis. Nos trás boas reflexões.

Scroll to top
1
0
Por favor, comente.x
()
x