Como se libertar de padrões repetitivos automáticos

Fotos colunistas elis borsoi

Por Elis Borsoi

padrões


Padrões de comportamento automáticos que são repetidos por uma pessoa ao longo da vida são aqueles feitos de maneira inconsciente, ou seja, quando não tem consciência, não percebe que está fazendo nem quais consequências eles irão proporcionar.

Caminhar, escovar os dentes, mastigar um alimento são comportamentos que normalmente são feitos de maneira automática, a não ser que o indivíduo preste atenção em cada movimento que faz de maneira consciente.

Outros tipos de comportamentos, como: namorar pessoas que são, por exemplo, muito ciumentas, nervosas, violentas, também são padrões de comportamentos inconscientes que podem se tornar um círculo vicioso em se tratando de relacionamento amoroso.

A novela da TV Globo “Um lugar ao Sol” relata vários exemplos disso. Na sequência de eventos e situações vividos nesta novela, pode-se destacar casos de repetição de comportamentos como: 3 gerações se relacionando afetivamente com pessoas mais novas que elas (importante destacar, que não cabe aqui julgar este tipo de relacionamento, cabe apenas destacar que é uma repetição de padrão de comportamento na família em questão). Marido agredindo esposa, repetindo o padrão do pai com relação à mãe. Mulheres se relacionando com homens indisponíveis (que traem), devido pai que foi ausente na infância, pois se dedicou muito ao trabalho. 

Segundo a visão sistêmica do alemão Bert Hellinger,  esses tipos de comportamentos acontecem, pois é uma maneira inconsciente de uma pessoa ser leal ao sistema familiar de origem, ou seja, repete padrões dos pais e/ou antepassados para praticar a Lei do Pertencimento.  A criança interior de uma filha, por exemplo, pode pensar: “Querida mamãe, se você não foi feliz no casamento com meu pai, eu também não posso”. Assim, essa mulher busca relacionamentos afetivos com pessoas com as mesmas características do pai.

Quando uma pessoa tem consciência dos seus padrões de comportamentos repetitivos e inconscientes, ela conhece um novo caminho para começar a se libertar disso fazendo escolhas e tomando decisões mais conscientes. Uma maneira de conquistar isso é se autoconhecendo, expandindo a consciência por meio de terapias e autoanálise e observando pensamentos, sentimentos e comportamentos para criar os próprios comportamentos e fazendo diferente dos pais e/ou pessoas da família que vieram antes. Desta maneira, toma a força destes antepassados, com respeito e honra, deixando com eles o que pertence somente a eles e ficando apenas com o que há de bom e saudável na família. 

Para saber mais sobre meu trabalho como autora, coach e Consteladora Familiar acesse o site:  https://www.elisborsoi.com/

LEIA TAMBÉM
Elis Borsoi
0 0 votos
Classifique este artigo
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
Scroll to top
0
Eu quero saber a sua opinião. Comenta aqui em baixo e vamos discutir esse assunto!!x
()
x