Conheça as leis sistêmicas para começar a viver o amor em ordem

leis sistêmicas

As Ordens do Amor ou leis sistêmicas descritas abaixo foram descobertas pelo pedagogo, psicoterapeuta e criador das Constelações Familiares Bert Hellinger. São leis naturais da vida que ele observou nos povos africanos e nas constelações familiares que vivenciou ao longo da sua vida.

Quando essas leis são praticadas, o ser humano tem mais consciência com relação aos seus pensamentos, comportamentos e ações, mais êxito e sucesso nos relacionamentos e na profissão. São elas:

Pertencimento (vínculo): todas as pessoas têm o direito de pertencer a um sistema familiar. Logo, não podem ser excluídas. Devem ser incluídas no sistema alcoólatras, abortos, natimortos, pessoas de relacionamento anteriores dos pais, suicidas e demais pessoas que tiveram algum vínculo com este sistema. Se houver algum excluído, uma pessoa que nasce depois pode vir representando esta pessoa por necessidade de compensação da injustiça cometida. Talvez seja o momento de começar a incluir essas pessoas na sua vida, falarei sobre isso nos próximos textos.

Hierarquia (ordem): as pessoas que nasceram primeiro têm precedência sobre quem entrou depois e todos possuem uma hierarquia determinada pelo momento em que começaram a pertencer a esse sistema familiar. Logo, primeiro vêm os pais e depois, os filhos. Sem esse reconhecimento e respeito há um desequilíbrio neste sistema familiar (filhos, pais, avós, bisavós e, assim, sucessivamente). 

Equilíbrio de troca nas relações (dar e tomar): com relação aos pais, estes dão e os filhos tomam (recebem de maneira ativa) não havendo necessidade que os filhos devolvam aos pais, de alguma maneira, o amor que receberam.

Segundo essa lei, os filhos não devem exigir dos pais o que não receberam, pois a vida foi o suficiente. O que um filho não recebeu dos pais deve ser buscado através da sua própria capacidade e atitudes perante a vida. Para equilibrar esta relação, os filhos devem passar adiante o amor que receberam tendo filhos ou transmitindo para pessoas através do ensino, exemplo: sendo voluntário, professor ou tendo uma profissão em que compartilhe conhecimento e ajude pessoas por meio de um propósito de vida. 

Com relação a um casal, esta relação é horizontal, ou seja, deve haver um equilíbrio entre o dar e o tomar. Um dá e o outro toma, porque tomar é mais ativo que receber. Quando um toma, fica grato e sente a necessidade de dar mais. Assim, este que tomou se sente em dívida, logo sente novamente a necessidade de dar mais. Desta maneira, as duas pessoas vão equilibrando o dar e o tomar, fortalecendo, assim, o vínculo do amor saudável e consciente no relacionamento.

Quando o desequilíbrio entre o dar e tomar acontece, na maioria dos casos, aquele que recebeu mais vai embora, pois se sente tão devedor que não consegue se manter no relacionamento.

E você, tem praticado estas leis na sua vida? Se pratica, parabéns!! Se ainda não pratica, pense: Como posso praticá-las a partir de agora? Comece com comportamentos simples que, juntos, trarão grandes resultados na sua vida pessoal e profissional! Desejo sucesso nesta jornada!

Elis Borsoi
5 1 vote
Classifique este artigo
Assine
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
Scroll to top
0
Por favor, comente.x
()
x