Deixar ir ou encerrar ciclos. Porque é tão importante?

ciclos


O que escrever quando estamos muito tristes e chateados que a única vontade é ficar quietinho, em silêncio, no máximo ouvindo uma musiquinha tranquila?ciclos

Essas últimas semanas tem sido muito complicada para mim e minha família, muito triste também. E quando algo assim acontece parece que perdemos o chão.

A única coisa que consigo pensar são nos ciclos da vida, que vamos passando a maioria das vezes sem perceber, sem dar atenção, a vida vai passando e na correria não paramos para observar os pequenos detalhes, ou as coisas que realmente importam e quando percebemos já passou.

Só aí nos damos conta que poderíamos ter parado com aquela pessoa especial, tomado mais cafés juntos, conversado mais, estar presente mais vezes, e estar presente para mim, é dar total atenção ao momento e acho importante. É diferente de estar do lado e não ouvir direito o que a pessoa está falando, não desgrudar os olhos do celular, simplesmente ficar do lado.

Eu particularmente sempre achei muito importante e sempre quando estou com alguém dou extrema importância e estar do lado e dar atenção e sempre falo: Eu estou aqui para você. Do que você precisa? Assim a pessoa se sente acolhida de fato e faz toda diferença.

PRODUTOS 40EMAIS

Logo redondo WORKSHOPS

O 40EMAIS traz para você os melhores cursos, para você dar aquela guinada de 360º na sua vida. Não Perca!

Demoramos algum tempo para entender que o Eterno e o para sempre uma hora termina e que faz parte do processo da vida. E não é ruim, faz parte. A cada ciclo que vivemos, aprendemos algumas coisas, experimentamos outras, crescemos. Assim como o bebê aprende a andar, tira s fraldas, larga a chupeta, vamos para escola, aprendemos a ler, e cada vez vamos aprendemos mais, temos mais amigos, socializamos, mudamos de cidade, até de país e fazemos novos amigos, mudamos de trabalho, e estudamos mais, e algum dia quando nos damos conta, percebemos que algumas pessoas já se foram, outras se mudaram, outras perdemos o contato e assim seguimos.

Claro que existem ciclos que não queremos que mude, outros que não vemos a hora de acabar, mas não é bem assim que funciona, se fosse seria ótimo, não é?

Ficamos numa eterna busca pelo momento perfeito, a hora certa, e será que existe? Acho que o momento perfeito é o agora, e a hora certa nós que determinamos e como? Estando presente de verdade naquele exato momento, porque ele pode não voltar, podemos não ter outra chance e aí vamos lamentar ter perdido exatamente o momento.

PUBLICIDADE | ANUNCIE

PUBLICIDADE | ANUNCIE

Na vida profissional é a mesma coisa, as vezes perdemos grandes chances por medo de mudanças, insegurança, de nos sentirmos incapazes, ou qualquer desculpa que sempre arranjamos para não mudar de ciclo – olha ele aí de novo- porque optamos por ficar estacionado no mesmo lugar, no mesmo trabalho, no mesmo relacionamento se já não sentimos o mesmo brilho no olhar, aquele tesão por fazer algo, sentir toda a adrenalina que envolve a expectativa de fazer algo que esperamos muito tempo, que desejamos com vontade.

Precisamos aprender a encerrar ciclos, sem desgaste, sem tristeza e entender que tudo acaba no momento que tem que acabar, é difícil, sei muito bem como é difícil o “Deixar ir” que ouvimos tanto, mas é necessário para o nosso bem.

E para encerrar eu vou deixar um poema lindo que fala justamente de Encerrar Ciclos.

Encerrando Ciclos, de Gloria Hurtado

Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final. Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver. (“Sempre é Preciso Saber Quando uma Etapa – Pensador”) Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos – não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.

Foi despedido do trabalho? Terminou uma relação?
Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país?
A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações?

Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu. Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó. Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seu marido ou sua esposa, seus amigos, seus filhos, sua irmã, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado.

Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco. O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar.

As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora. Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem. Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração – e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar.

Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.
Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos. Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor. Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.

Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do “momento ideal”. Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará.

Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa – nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade. Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante. Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida. Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é.

Espero que gostem.

Um abraço e até a próxima semana 😊

Selma Cabral

LEIA TAMBÉM
0 0 votos
Classifique este artigo
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
Scroll to top
0
Eu quero saber a sua opinião. Comenta aqui em baixo e vamos discutir esse assunto!!x
()
x