Desorganização Crônica – Será que você é realmente um Acumulador?

Tatiana França

Por Tatiana França

acumulador acumulador


É comum eu receber mensagens de pessoas alegando que a mãe, pai, marido, esposa etc. são acumuladores e que não aguentam mais a bagunça, mas será que a pessoa em questão é realmente acumuladora? 

A Desorganização Crônica (Transtorno de Acumulação) é quando a pessoa começa a acumular objetos e lixos sem utilidade ou valor, compram compulsivamente, coletam descartes nas ruas sem uma finalidade etc. Muitas vezes essa acumulação pode estar centralizada apenas em um cômodo ou, nos casos mais graves, na casa toda. Depende de quando a família se dá conta que a pessoa realmente está sofrendo deste Transtorno. A bagunça por si só não se caracteriza como Desorganização Crônica.

Este comportamento pode se desenvolver a partir da perda de um ente querido, divórcio, quando os filhos saem de casa (Síndrome do Ninho Vazio), perda do emprego etc.

Um alerta pode ser o isolamento social. Além de evitar eventos sociais e familiares, evitam receber pessoas em casa por causa da vergonha.

O que sempre oriento para as pessoas que me procuram, é primeiro procurar ajuda profissional (Psicólogo, Terapeuta, Psiquiatra) com o consentimento do parente que apresenta o Transtorno de Acumulação. A abordagem tem que ser cuidadosa, com carinho e respeito. Muitas vezes a pessoa tem consciência do problema, mas não sabe como pedir ajuda ou por onde começar. Jamais entre na casa de um Acumulador para jogar os pertences dele fora, você com certeza piorará a situação. Não fará nenhum bem. O processo de desapego é extremamente delicado nesses casos, pois causa muita dor emocional. O Desorganizado Crônico acredita que todos aqueles objetos são realmente importantes. O apoio de um profissional de saúde é indispensável, pois só ele terá condições de avaliar quando será o melhor momento para abordar o processo de desapego, limpeza e organização. Importante lembrar que pessoas nestas condições precisam organizar seu EU interior. Não é apenas bagunça externa. A bagunça interna pode estar muito maior.

PUBLICIDADE | ANUNCIE

PUBLICIDADE | ANUNCIE

Com o acompanhamento profissional a pessoa vai perceber que mais importante do que ter uma casa entulhada de coisas é deixar a casa aconchegante para receber amigos e familiares queridos.

Gostou? Compartilhe com uma amiga!

Deixe suas dúvidas e dicas nos comentários. 

Quais assuntos você gostaria de ler aqui na coluna?

Abraços e até a próxima

Tatiana França

https://linktr.ee/organizeeharmonize

LEIA TAMBÉM
Fotos colunistas Tatianafranca
5 1 vote
Classifique este artigo
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
Scroll to top
0
Eu quero saber a sua opinião. Comenta aqui em baixo e vamos discutir esse assunto!!x
()
x