fbpx

Dicas para planejar uma viagem internacional

Selma Cabral

Por Selma Cabral

viagem internacional


Enfim podemos fazer uma viagem internacional, com a reabertura das fronteiras e com várias regras. Mas com o dólar tão alto como fazer para economizar e não ir à falência na volta?

Como tudo na vida exige planejamento para viajar é igual: temos que nos planejar com antecedência e muita organização.

E vamos as dicas:

Planejar antes:

Comece a planejar a quantidade de dólar que você irá precisar bem antes da viagem, compre pequenas quantias da moeda de tempos em tempos como uma vez ao mês ou a cada duas semanas e faça um cálculo estimado considerando as despesas que você pretende pagar em dinheiro como alimentação, compras e um valor extra no caso de uma emergência. Infelizmente é impossível prever quando a moeda americana vai ficar mais barata.

Assim, você terá adquirido o montante pela cotação média do período considerando as oscilações do câmbio. Deixar para comprar todo o valor necessário de uma só vez provavelmente sairá mais caro.

Pesquise em mais de uma casa de câmbio

viagem internacional

Existem várias ferramentas que ajudam a encontrar dólar pelo menor preço comparando a cotação de várias casas de câmbio em uma única pesquisa. Ou se você tem uma casa de câmbio de sua confiança, já combine para ir te avisando das melhores ofertas. Afinal confiança e amigos são tudo na vida minha gente!

Sempre que possível evite comprar a moeda em aeroportos. Além de oferecerem as piores cotações, as casas de câmbio localizadas em aeroportos geralmente funcionam apenas em horário comercial (se seu voo for à noite, madrugada, finais de semana ou feriados, esqueça). E ainda tem o risco de o local não dispor de toda a quantia que você deseja comprar.

Muito cuidado ao comprar moeda estrangeira de “doleiros” ou em casas de câmbio de reputação duvidosa. Além do risco de estar adquirindo uma moeda falsa, o local pode não ser autorizado pelo Banco Central para prestação do serviço de câmbio.

Consulte se seu banco oferece serviço de câmbio

Algumas agências bancárias oferecem o serviço de câmbio e possuem até caixas eletrônicos com a funcionalidade de saque em moeda estrangeira. Essa opção pode oferecer comodidade e algumas instituições contam com uma cotação diferenciada para correntistas. Mas como tudo não são flores, é preciso conhecer todas as tarifas cobradas pelo serviço. Alguns bancos cobram um valor fixo por transação e, no caso de baixas quantias, o desconto pode não compensar e o custo final da transação pode sair bem caro.

Não deixe para trocar dinheiro no país de destino

Em uma emergência, você até pode trocar os seus reais por dólares em outro país. Em cidades com fluxo grande de turistas brasileiros como Miami e Orlando, é fácil encontrar casas de câmbio que façam a troca. Mas, você certamente fará um péssimo negócio.

Saiba o custo de usar o cartão de crédito internacional

viagem internacional

O cartão de crédito internacional é a forma mais prática e simples para efetuar compras no exterior, mas não é a mais barata. Conheça os custos que incidem sobre esse tipo de pagamento para evitar surpresas ao receber a fatura. Desde 01 de março de 2020, os cartões de crédito são obrigados a cobrar o dólar do dia da compra e não mais do dia do pagamento da fatura, como era feito até então. A medida também determinou que os bancos informem o valor da cotação da moeda em seus canais de autoatendimento. Verifique sempre qual a cotação cobrada pelo cartão de crédito antes de realizar uma compra.

Conta digital internacional

A conta digital internacional é um produto novo no mercado brasileiro. O serviço permite que o cliente mantenha um saldo em dólar sem oscilação cambial. O usuário pode transferir recursos da sua conta corrente em real para a conta digital internacional por uma cotação bem competitiva pagando o mesmo IOF que pagaria ao comprar papel moeda. O saldo pode ser utilizado através de compras ou saques no exterior através de um cartão de débito internacional. Essa opção é interessante para pessoas que viajam com frequência para o exterior.

Sobrou dólares da viagem? Não venda

Só se você estiver realmente esteja precisando do dinheiro, não é um bom negócio você trocar os dólares que sobraram da sua viagem. Com certeza o valor que você venderá seus dólares será bem mais baixo do valor que você comprou.

E normalmente quando voltamos de uma viagem ao exterior já estamos pensando na próxima e como não é barato, podemos já ter um bom pé de meia só com esses dólares que sobraram, o que já é um milagre sobrar alguma coisa vamos ser sinceros.  E em caso de uma desvalorização do real, o papel moeda que você tem em casa estará assegurado.

Os “tipos” de dólar

Quando ligamos o rádio ou a televisão na hora do jornal ouvimos uma cotação do dólar. Porém, quem foi logo na sequência até uma casa de câmbio comprar a moeda, já deve ter reparado que o valor da cotação é diferente do mostrado no jornal, mais caro. Isso acontece porque, na verdade, existem três “tipos” de dólar: o dólar comercial, o dólar turismo e o dólar paralelo.

O dólar comercial, que costuma ser a cotação noticiada nos jornais, é a cotação utilizada pelos governos e pelas grandes empresas, sendo referência para as exportações e importações. Já o dólar turismo é o que é praticado pelas casas de câmbio, reservas de hotéis, passagens e compras feitas no cartão durante a viagem. Ele costuma ser maior que o dólar comercial por ter agregado ao seu preço as taxas relativas à operação. E por fim, o dólar paralelo é utilizado apenas em compras e vendas realizadas fora de estabelecimentos oficiais.

E por que as cotações variam?

A cotação do dólar, representa, no final das contas, a quantidade de reais necessária para adquirir a moeda norte-americana. Basicamente, é a relação oferta x demanda sendo colocada em prática. Quando há um aumento no volume de interessados em adquirir a moeda, seu preço tende a subir. No oposto, quando a moeda vem sendo pouco negociada, seu preço tende a cair.

Mais do que isso, o dólar acaba sendo sensível a fatores econômicos e políticos. Cenários de instabilidade e recessão tendem a causar aumentos na cotação do dólar. Isso significa que o real perdeu força em relação à moeda norte-americana. Já em momentos com a economia em crescimento, a cotação do dólar se mostra em queda, tendendo a aproximar cada vez mais a cotação do dólar com o real.

Não dá para ter certeza sobre qual o melhor momento para a compra do dólar. As expectativas e projeções do cenário econômico, alinhado às tendências, podem facilitar na tomada de decisão. Porém, mesmo assim, não é nada garantido, por isso, para amenizar impactos negativos de comprar no momento errado, seguem abaixo algumas dicas para quem está buscando comprar dólar ou qualquer outra moeda estrangeira:

Agora que já entendemos tudo sobre dólares e as melhores maneiras de comprar, vamos ao planejamento da viagem em si.

Como planejar uma viagem internacional: passo-a-passo

1. Passaporte:  é um documento padrão que te permite embarcar e cruzar a fronteira de outros países. O uso deste documento é necessário para quase todos os países do mundo. A exceção fica por conta de alguns países da América do Sul que não exigem passaporte, onde apenas o RG é aceito para o embarque. Se ainda não ter veja como tirar:

Primeiramente, você precisa preencher um formulário no site da Polícia Federal e pagar a taxa de emissão do passaporte.

Após a confirmação do pagamento, é só agendar data e horário na Polícia Federal e levar todos os documentos necessários.

  • Não deixe para tirar o passaporte em cima da hora, pois o prazo de entrega pode demorar até um mês.
  • Caso já tenha um passaporte, cheque a data de validade, pois alguns países exigem pelo menos 6 meses de validade do documento. Se o documento já estiver vencido, será preciso fazer uma nova emissão.

2. Visto: Assim que estiver com o seu passaporte em mãos, é hora de saber se o país que você irá visitar exige o visto para brasileiros.

Caso o país exija o visto, você precisará entender como obtê-lo.

Em alguns casos, você deverá retirar o visto ainda no Brasil, no Consulado ou Embaixada do destino.

Em outros casos, o visto poderá ser retirado já no destino – essa modalidade de visto é conhecida como “Visa on Arrival”. Ainda no aeroporto, após o desembarque, você deverá pagar uma taxa e tirar uma foto (ou levar uma, a depender das exigências do destino) para ter seu visto emitido e sua entrada liberada no país.

Há ainda alguns países que permitem que o visto seja solicitado online, os chamados “e-visas”.

Mas, cada caso é um caso. O é importante conferir direitinho as exigências do país para onde você vai. Pelo site do Itamaraty é possível conferir uma lista com todos os países que exigem ou não visto para brasileiros.

3. Passagens aéreas: Depois de conferir a documentação, está na hora de dar um grande passo para realizar sua primeira viagem internacional: a compra da passagem aérea.

Se você quer garantir uma passagem aérea mais barata, você precisa saber que existem alguns fatores que influenciam no valor final: o período da sua viagem (alta ou baixa temporada) e o dia da semana que você irá fazer a compra são apenas alguns deles.

Existem diversas formas de economizar em passagens aéreas. Algumas delas são:

  • a palavra mágica é flexibilidade. Quanto mais flexível você conseguir ser com suas datas de viagem, maiores são as chances de conseguir um bom preço.
  • o assunto é controverso, mas é verdade sim que há variação de preços da passagem durante a semana.
  • se você ainda não tem destino definido ou data específica, é possível pesquisar passagens em promoção para “destino em aberto”.  Dá conseguir preços muito bons. Vale a pena.

4. Seguro-viagem: Imprescindível e não apenas para sua primeira viagem internacional, como para todas as viagens da vida: sempre faça um seguro-viagem, pois ele pode ser o seu melhor amigo para inúmeros imprevistos. Ele é a garantia de cobrir determinados custos e perdas que você pode ter durante a viagem. É obrigatório em vários países ao redor do mundo e sua principal função é cobrir custos relacionados à saúde, como idas ao hospital, médicos, clínicas odontológicas e até mesmo seguro de vida em caso de morte.

Além de serviços médicos, há opções de seguro que oferecem outros benefícios, como cobertura em casos de perda ou roubo de documentos e extravio de bagagem; e ainda reembolso em caso de cancelamento ou interrupção da viagem. Acidentes podem acontecer, e é sempre importante prevenir.

5. Planejamento financeiro: Outro item importantíssimo: Afinal ninguém faz nada sem dinheiro e muito menos viajar.

O passo a passo para planejar uma viagem internacional vai muito além de passagens aéreas, passaporte e visto.

Afinal de contas, de que adianta ter documento em dia e voo comprado se você não tiver uma reserva financeira para realizar a viagem?

O ideal é você realizar um cálculo aproximado com todos os gastos que você terá durante a viagem. Considere pontos como acomodação, alimentação, passeios, transportes, compras e possíveis imprevistos.

Para um controle ainda maior, vale fazer um cálculo do quanto você pode gastar por dia de viagem. Assim fica bem mais fácil de saber com o que você pretende usar o seu dinheiro e até evitar aqueles gastos desnecessários. Deixe uma sobrinha para as comprinhas inesperadas!

6. Dinheiro: faz parte do planejamento financeiro. Mas o que vamos falar aqui é sobre o dinheiro da moeda local, aquele que você vai precisar levar durante a sua viagem.

Quando vamos planejar uma viagem internacional, é preciso ter muita atenção a esse tópico, pois existem diversas coisas a se considerar.

Para começar, você precisa saber qual é a moeda local do país que você irá viajar.

Depois, você deve verificar se existe a compra dela aqui no Brasil. E ainda, entender se é mais válido comprar a moeda local ou dólar (para fazer o câmbio para a moeda local já no país de destino).

Também é importante ver se é mais vantajoso levar dinheiro em espécie ou usar outro recurso. Hoje em dia existem várias opções de como levar dinheiro para o exterior, como cartão pré-pago, cartão de débito ou crédito internacional, transferwise, entre outros.

7. Vacinação: Importantíssimo, ainda mais agora com a Pandemia de Covid-19.  Estar com a vacinação em dia é um dos pontos principais na hora de planejar sua primeira viagem internacional, já que vários destinos exigem o Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP) (CIVP), sendo a da febre amarela uma das mais exigidas pelos países. E agora o Certificado de vacina para o Covid-19 também.

Você pode verificar se o país para onde está viajando exige o comprovante através do site da ANVISA e acessar o site do Governo onde tem todas as explicações de como adquirir o certificado.

8. Acomodação: A escolha de onde você irá se hospedar vai depender do seu estilo como viajante. Mas o fundamental é escolher sua acomodação com antecedência para garantir uma boa experiência de viagem.

viagem internacional

Quanto antes você fizer essa escolha, maiores são as chances de conseguir uma hospedagem por um bom preço e bem localizada.

A localização também é muito importante para facilitar a sua locomoção pela cidade. Opte por acomodações onde haja fácil acesso a transportes públicos e dos pontos turísticos da cidade em que você deseja conhecer.

9. Roteiro: Depois de resolver todas as questões burocráticas, chegou a hora de planejar os pontos turísticos que deseja conhecer e se aventurar pelo país que você irá viajar. Essa é parte divertida depois de toda burocracia com documentos, dinheiro etc.

Antes de embarcar em sua viagem, defina quais os locais que você deseja conhecer e as principais atrações. Inclua o custo de cada uma delas e quanto tempo precisa para concluir seu roteiro, e assim conseguir distribuir bem as atividades ao longo dos seus dias. Caso você goste de comodidade ou se sente inseguro, contrate uma Agência de Viagens para organizar roteiros personalizados para você.

10. Malas: Não tem como planejar uma viagem internacional sem pensar no que levar na mala, né? Tem gente que ama e tem gente que odeia fazer malas. A verdade é que, quando começamos a fazer a nossa mala, bate aquele friozinho na barriga nos dizendo que está chegando a hora de embarcar!

viagem internacional

Mas é preciso alguns cuidados: além do destino em si, você também precisa saber se durante a sua viagem estará frio ou calor, para decidir qual tipo de roupa você irá levar. Veja também os lugares que você colocou em seu roteiro, vendo o estilo de roupa de cada um deles.

É preciso ter muito cuidado com os excessos, até porque você vai querer voltar com as suas comprinhas né? Deixe espaço na mala já adianto que vai ser muito bem-vindo qualquer espacinho que sobrar.

Verifique com a sua companhia aérea sobre os tamanho e peso das malas permitidos em seu voo, pois isso pode variar conforme a empresa.

Informe-se também sobre as taxas de bagagem: algumas companhias aéreas  cobram à parte, enquanto outras já incluem a tarifa no valor final da passagem.

Dica extra: internet

Atualmente ninguém fica desconectado por muito tempo, nem durante a viagem.

Seja para usar o GPS, conferir o horário das atrações, encontrar um bom restaurante no destino… o celular está sempre na mão.

Na verdade, eu acredito que ter internet não é apenas útil como também importante.

Ao pensar em como planejar uma viagem internacional, considere que estar conectado pode te passar mais segurança. Seja para mandar uma mensagem confirmando sua reserva no hotel, seja para fazer uma ligação e acionar seu seguro-viagem… existem vários cenários em que a internet pode ser de fato uma mão na roda.

Verifique quais as conexões disponíveis para o local que você vai e escolha a opção que vai lhe atender melhor e não a mais barata hein? Lembre-se que o barato sai caro.

Importante:

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ), por meio da Resolução n. 131, alterou os procedimentos para a autorização de viagens de crianças e adolescentes ao exterior. Pela nova regra, o reconhecimento de firma nas autorizações de pais ou responsáveis não precisa ser feito na presença de tabelião, passa a se dar com o reconhecimento de firma já registrada em cartório. O texto também dispensa a inclusão de fotografia da criança no documento que autoriza a viagem.

Para esclarecer as regras para embarque de menores em voos para exterior, o CNJ produziu cartilha com as principais informações.

A autorização é exigida sempre que crianças e adolescentes brasileiros precisarem viajar para outros países desacompanhados, na companhia de apenas um dos pais ou acompanhados de terceiros. Para autorização de viagem internacional de crianças e adolescentes, preencha o formulário padrão.

Depois de tudo isso você já sabe como planejar uma viagem internacional, só se preocupe em aproveitar muito e que a sua viagem seja inesquecível!

Um abraço e até a próxima semana! 😊

Dúvidas se tiverem pode me perguntar por aqui!

Selma Cabral

LEIA TAMBÉM
Selma Cabral
Últimos posts por Selma Cabral (exibir todos)
0 0 votos
Classifique este artigo
Assine
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
Scroll to top
0
Eu quero saber a sua opinião. Comenta aqui em baixo e vamos discutir esse assunto!!x
()
x