Maio Roxo: sempre é tempo de entender sobre as doenças inflamatórias intestinais 

maio roxoO Maio Roxo é o mês de conscientização sobre as Doenças Inflamatórias Intestinais, as chamadas DIIs, que são doenças crônicas de caráter autoimune, que podem acometer todo o trato gastrointestinal. Os tipos de DIIs são a Doença de Crohn e a Retocolite Ulcerativa.

O diagnóstico pode ser demorado e muitas vezes difícil, a doença se manifesta da infância as idades mais avançadas, porém com uma prevalência em adultos jovens. Os sintomas podem aparecer de forma exacerbada ou amena, podendo ocorrer: diarreia (com muco e sangue), dor abdominal, anemias, perda de peso involuntária, febre baixa e fadiga (cansaço), em graus variados.

A doença pode levar a quadros de manifestações extra intestinais, em vários órgãos: pele, articulações, olhos e ossos. O diagnóstico é realizado pelo médico, através de exames de sangue e imagem. 

O intestino é um órgão vital e está relacionado a muitos processos que vão além da digestão, substâncias importantes são produzidas pelo nosso intestino, como a serotonina, hormônios, células de defesa, possui cerca de 500 milhões de neurônios e possui seu próprio sistema nervoso.

PRODUTOS 40EMAIS

Logo redondo CURSOS

O 40EMAIS traz para você os melhores cursos, para você dar aquela guinada de 360º na sua vida. Não Perca!

Quando o intestino está inflamado, ocorre uma alteração no tecido interno, o que leva a uma produção de toxinas entre outras substâncias, que prejudicam o tecido intestinal, desenvolvendo algumas doenças como a DII.

Em relação a alimentação, os estudos demonstram que o consumo de alimentos ultraprocessados, como os industrializados, açúcar em excesso, gordura saturada (origem animal) e sal, são considerados gatilhos ambientais para o aparecimento da doença, assim como os fatores emocionais

Sem dúvidas um dos fatores mais discutidos para o intestino saudável é uma alimentação “limpa”, ou seja, livre de produtos com corantes, conservantes e aditivos químicos.

O paciente no curso da doença pode desenvolver intolerância a alguns grupos de alimentos, como os lácteos, entre outros, o que leva a uma exclusão e ao “medo de se alimentar”. A doença pode ter os sintomas acima citados com períodos de melhora o que muitas vezes dificulta o diagnóstico e leva a exclusão de alimentos de forma desnecessária. 

  Pacientes com DII, tem que ter em mente que cuidar da alimentação é uma premissa para conviver com a doença, assim como buscar o tratamento adequado.

PUBLICIDADE | ANUNCIE

PUBLICIDADE | ANUNCIE

O dia alimentar deve ser variado, com um bom consumo de frutas e sucos, legumes cozidos e cereais. Em relação às proteínas, preferencialmente aves, peixes e ovos são uma boa opção, preparados com pouca gordura e sal. As fibras são fonte de energia para o intestino, mas devem ser orientadas por um nutricionista, dependendo da fase da doença em que o paciente se encontra.

Pacientes com Doença Inflamatória Intestinal se beneficiam muito quando tratados por uma equipe multidisciplinar, formada por médicos gastroenterologistas, reumatologistas e nutricionistas especializados nesta área, assim como psicólogos.

LEIA TAMBÉM
Jenifer Bom
0 0 votos
Classifique este artigo
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
Scroll to top
0
Eu quero saber a sua opinião. Comenta aqui em baixo e vamos discutir esse assunto!!x