O que a novela Pantanal nos ensina com relação a tomar a vida

Pantanal
Divulgação/TV Globo

A novela Pantanal escrita por Benedito Ruy Barbosa (primeira versão) relata em seu belíssimo roteiro a saga de três gerações da família Leôncio: Joventino (Velho do Rio), José e Jove.

Jove foi criado na cidade do Rio de Janeiro pela mãe e pela família materna e durante quase toda sua vida pensou que seu pai houvesse morrido. Jove não conseguiu se encontrar na vida, não trabalhava nem conseguiu concluir a faculdade mesmo tendo todo o amor e o apoio da família materna, que não conseguiu fazer a função paterna que ele tanto precisava para ter êxito na vida pessoal, profissional e nos relacionamentos amorosos.

Quando Jove descobre que seu pai José Leôncio está vivo, vai em busca das suas origens paternas que, até então, só conhecia por meio de histórias que seu avô materno Antero e sua tia Irma contavam.

O interessante é que, mesmo tendo a genética dos Leôncio, família de peões do Pantanal, a influência do ambiente da família carioca falou mais alto, pois Jove não se interessava por negócios, cavalos nem bois. Herdou da família paterna o amor e o respeito pela natureza que tanto gostava de fotografar e admirar, mas não se interessava em viver como pantaneiro para seguir os passos do pai José Leôncio nem do avô Joventino.

PRODUTOS 40EMAIS

Logo redondo WORKSHOPS

O 40EMAIS traz para você os melhores cursos, para você dar aquela guinada de 360º na sua vida. Não Perca!

Segundo a visão sistêmica, quando um(a) filho(a) não conhece seu pai biológico e ou até conhece, mas este é ausente na vida deste filho(a), essa pessoa pode vivenciar uma história parecida com a do Jove, pois tomar a força do pai e dos seus antepassados é tão importante quando tomar a força da mãe e dos seus antepassados. 

Quando um pai é ausente, independente do motivo: morte ou abandono, é importante que este(a) filho(a) internalize este pai no coração para tomar a vida por meio da força que veio dele o aceitando como ele é, pois este pai também vivenciou suas dinâmicas e teve adversidades na vida. 

Se houver adoção e não for possível que o(a) filho(a) adotivo(a) conheça os pais biológicos, é essencial que os pais adotivos sintam gratidão pelos pais biológicos deste(a) filho(a) e este(a) também aceite seus pais biológicos do jeito que são sem julgamento, pois estes pais fizeram o que podiam com as condições que tinham no momento em que decidiram colocar esta criança para adoção. 

Voltando para a novela Pantanal, Jove está no seu processo de incluir e aceitar seu pai José Leôncio do jeito que ele é para começar a se encontrar na vida e no amor de forma verdadeira e genuína. Nesta jornada, Jove se apaixona perdidamente por Juma Marruá e repete um padrão de comportamento do pai quando se apaixonou pela Madeleine (mãe de Jove). Ambos se apaixonam por mulheres de mundos completamente diferentes.  Talvez essa seja a maneira inconsciente que Jove encontrou para internalizar o pai pantaneiro que ele tanto ama e tem dificuldade de expressar todo seu amor.

Saiba que por meio da Constelação Familiar e da Terapia Sistêmica é possível incluir no coração pessoas da família por meio de falas e movimentos sistêmicos. Para saber mais sobre a visão sistêmica e sobre meu trabalho como Autora, Terapeuta Sistêmica, Consteladora Familiar, Praticante da PNL e Coach, por favor acesse o site:  https://www.elisborsoi.com. Atendimentos online.

Escrevo mais sobre esse assunto no texto – Tomando a vida por meio da força do pai.

LEIA TAMBÉM
Elis Borsoi
0 0 votos
Classifique este artigo
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
Scroll to top
0
Eu quero saber a sua opinião. Comenta aqui em baixo e vamos discutir esse assunto!!x
()
x