fbpx

Turismo de Experiência

Selma Cabral

Por Selma Cabral

Uma das tendências na retomada do Turismo pós – pandemia. E com certeza tem tudo para agradar e proporcionar novas experiências aos viajantes!! 


As viagens mudaram drasticamente desde o início da pandemia de Covid-19. Entre tantas incertezas, com pouca flexibilidade para deslocamentos e para o consumo de serviços de hospitalidade, transportes, entretenimento, gastronomia, esportes e bem-estar, no Brasil e no mundo, temos que inovar, pensar em alternativas práticas, locais acessíveis, de preferência ao ar livre e que traga segurança para todos e interação com a população local.

Chega de pensar em roteiros pré-fabricados, destinos de moda. Pense em uma viagem única e personalizada, com experiências, pessoas e lugares reais – muito além das imagens que você está acostumado a ver no Instagram. Nesta modalidade de turismo, o foco está na experiência.

O turismo de experiência vai te proporcionar vivências que você não teria contato em um roteiro tradicional”, mas ir além dos pontos turísticos tradicionais, é vivenciar a realidade local. Cuja prioridade é fazer uma imersão cultural, histórica, gastronômica, religiosa (ou o que você escolher) no destino, é ir além do superficial, convivendo e aprendendo, compartilhando a realidade, cultura e costumes com os moradores locais.

Mas como toda viagem, além da vontade e predisposição é preciso alguns cuidados tanto para quem vai organizar o roteiro, como para quem vai fazer o passeio.  Adequar as atividades de acordo com o seu público, respeitar o limite físico das pessoas, é um dos cuidados que se deve tomar, não é aconselhável um roteiro que inclua longas trilhas e caminhadas para uma criança ou turista com dificuldade de locomoção. Assim como não seria ideal um roteiro gastronômico para viajantes com restrições alimentares.

Faça roteiros sob medida para grupo de viajantes. Isso vai evitar problemas durante o passeio e claro que não é o que queremos certo? Diversifique a viagem, busque integrar o turista ao modo de vida das pessoas da localidade, e isso tem que ser espontâneo, não dá para ir entrando e pronto.

Se você ainda não está acostumado com esse termo, lembra dos roteiros das vinícolas principalmente na região serrana do Rio Grande do Sul, especificamente, no Vale dos Vinhedos. Lá, turistas eram incentivados a vivenciar a rotina da colheita da uva, desde o vinhedo até a degustação de vinhos. A iniciativa fez tanto sucesso que, hoje, há roteiros exaltando as belezas e particularidades de regiões distribuídas por todo o território nacional.

Na Baixada Santista temos alguns exemplos de Turismo de Experiência. Eles são uma verdadeira aula sobre a Cultura Caiçara e proporciona uma verdadeira experiência, onde tudo é feito pela comunidade, desde as refeições até os passeios e a monitoria, além de proporcionar um riquíssimo aprendizado sobre Cultura Caiçara.

CAIÇARA EXPEDIÇÕES é uma Agência de Viagens e Turismo

projetos diversos, explora o terreno onde se cruzam turismo, meio ambiente, cultura, eventos, negócios e parcerias. Promove administração com consciência ecológica, negócios sustentáveis e educação ambiental, estimulando a transformação de valores, ideias e comportamento por meio de roteiros turísticos, pesquisa, educação, diálogo e trabalho integrado.

Trabalha na operacionalização de roteiros e projetos de Turismo em âmbito regional e nacional, priorizando a Região Metropolitana da Baixada Santista conhecida por Costa da Mata Atlântica (formada pelos municípios de Santos, São Vicente, Guarujá, Praia Grande, Bertioga, Cubatão, Itanhaém, Mongaguá e Peruíbe).

Para realizar os passeios é necessário entrar em contato com a Agência e ver a disponibilidade dos roteiros, condições e et. https://caicaraexpedicoes.com/

Esses são alguns Roteiros realizados pela Agência:

Ilha Diana – Santos/SP:

turismo

Os primeiros moradores da Ilha Diana chegaram na década de 40, vindos da região onde hoje está a Base Aérea de Santos.

Hoje são cerca de 55 famílias, onde alguns ainda vivem da pesca artesanal e coleta de mariscos.

A comunidade encanta pela sua simplicidade e modo de vida, onde lindas casas de madeira e embarcações atracadas convivem em harmonia com famílias de caranguejos e aves do manguezal. Um convite à tranquilidade e ao conhecimento das tradições caiçaras.

Itabatatinga- Santos/SP:

Um roteiro realmente encantador, onde os visitantes conhecem o sítio Itabatatinga. O sítio consta de uma área com plantações e árvores frutíferas, além da criação de animais, como perus, gansos, galinhas e peixes. No local os visitantes também têm uma agradável surpresa ao conhecerem a Gruta Esteves e a Fonte dos Amores, datada de 1900, cuja água fresca, leve e cristalina, é um convite para saciar a sede.

Após a visitação à parte rural, vamos de encontro às antigas ruínas que existem no local. Historiadores já estudaram e até hoje não se sabe exatamente o que foram. No local também existe a antiga casa sede, onde funcionou um engenho e um alambique. Na parte térrea da casa existia uma senzala, cujas argolas de ferro onde ficavam presos os escravos estão lá até hoje.

No sítio os visitantes podem utilizar a estrutura do local, como piscina, área de alimentação, banheiros, churrasqueira (os visitantes devem levar a alimentação) e passar um dia diferente confraternizando entre amigos e familiares em uma área rural bem pertinho da cidade!

Turismo Comunitário Surpresas do Caruara – Santos SP:

turismo

A área Continental de Santos corresponde a 231,6 km² do município, sendo quase 6 vezes maior que a área insular.

Lá existe o simpático bairro do Caruara, onde é realizado este roteiro, tendo os moradores locais como anfitriões.

Iniciamos o passeio com um delicioso café da manhã. Após, realizamos caminhada pelo bairro, visitando espaços públicos, privados, comunitários e locais interessantes e curiosos. O almoço vem em seguida, elaborado com muito carinho. Na sequência será realizada oficina de artesanato, onde os participantes podem estar criando sua própria peça. Para encerrar uma roda de conversa, onde a comunidade poderá enriquecer os participantes de informações sobre a história, curiosidades e modo de vida.

Por ser um roteiro de turismo comunitário, todas as refeições, oficina e monitoria são realizados pela própria comunidade., gerando assim autenticidade, economia solidária e sustentabilidade.

Projeto Horta Urbana: Horta Comunitária Bons Frutos – Santos SP:

turismo

As hortas urbanas já começam a se tornar realidade em diversas cidades do mundo. São iniciativas que transformam o entorno que é capaz de reestabelecer novamente a biodiversidade e proporcionam mais qualidade de vida com maior eficiência econômica para os cidadãos. São saberes ancestrais que nos fazem ter a conexão com os ciclos da natureza e da produção do nosso alimento.

Em 2014 a horta Bons Frutos nasceu de um sonho comunitário ocupando pouco mais de 5m2 nos fundos de um barracão cultural, no programa Guerreiros Sem Armas, desenvolvido pelo Instituto Elos e dos parceiros apoiadores que foram se juntando ao projeto.

A horta Bons Frutos é um empreendimento comunitário de moradores do Jardim São Manoel e do Caminho da União, na cidade de Santos. O projeto gera renda, autoestima e produção de alimentos saudáveis.

Recentemente o projeto Horta Comunitária Bons Frutos recebeu o prêmio de Inovação Comunitária pela Brazil Foundation, mas este é apenas um dos reconhecimentos que permitem que a horta se expanda e consolide seus resultados.

Venha colocar a mão na terra e aprender sobre o cultivo de hortaliças, legumes, ervas medicinais, temperos e flores. Esta atividade é indicada para todos os tipos de públicos (escolas, empresas, associações, famílias etc.) que desejam ter uma vivência inspiradora e comunitária.

Turismo Comunitário Arte nas Cotas – Cota 200 – Cubatão SP:

turismo
fonte: Caiçara Expedições

“O Turismo Comunitário é uma proposta que beneficia as famílias locais, tanto economicamente quanto na autoestima, e transforma a vida de quem vive essa experiência”. Renato Marchesini.

Um roteiro para quem gosta de conhecer projetos comunitários e fazer turismo ao mesmo tempo! O Turismo Comunitário Arte nas Cotas – Cota 200 e mostra aos visitantes o trabalho da comunidade do bairro Cota 200 conhecendo os projetos do Ateliê Arte nas Cotas, Nesdel, Cota Viva e ComCom, cujas intervenções artística, sociais e ambientais alegraram o bairro e proporcionam renda e autoestima à comunidade.

Locais Visitados: Ateliê Arte nas Cotas e Comunidade Cota 200 (Centro Comunitário, Paredes Pintadas, Muro do Príncipe e Mirante da Mangueira).

Roteiro Cultural: Conhecendo a Comunidade Afro São Roque e Caboclo Tupinambá – Bertioga SP:

turismo

Os mistérios e as curiosidades que envolvem o Candomblé e a Umbanda, religiões brasileiras de matriz africana existentes no país, tornam os Terreiros espaços sagrados e pontos culturais. O Candomblé e a Umbanda são um dos principais responsáveis pela manutenção da cultura negra no Brasil.

Nos terreiros perpetuou-se, além da religiosidade, a música, a culinária e as danças trazidas pelos negros. Durante o período que durou a escravidão no Brasil, os negros eram proibidos de praticarem sua religião, por isso, os orixás, deuses do candomblé e umbanda, foram associados aos santos católicos, de maneira a permitir seu culto.

Este roteiro proporciona aos visitantes conhecer a história, cultura e o pertencimento de um povo que contribuiu para a formação da sociedade brasileira.  O visitante irá encontrar no terreiro a manutenção do que é mais sagrado, a preservação da natureza, o respeito ao próximo e o compromisso com a religião.

O grupo será recepcionado pela comunidade e, após café da manhã típico, farão passeio pelo terreiro. Na sequência almoço típico, exposição de artesanato e produtos afro-brasileiros, oficina de toque e cânticos afro-religiosos, samba de roda e bate papo com a comunidade.

Todas as pessoas são bem-vindas no Terreiro, independentemente da religião, raça, etnia, orientação sexual, partido político, desde que respeitem esse espaço como sagrado.

Vivência na Aldeia Indígena Guarani – Bertioga SP:

turismo

Este é um roteiro para quem deseja conhecer de perto uma aldeia Guarani e os costumes dos indígenas.

Na chegada à aldeia os visitantes são recebidos pelos indígenas e levados à Casa de Reza, onde eles contam seus costumes, forma de vida, a história da aldeia, as lutas indígenas etc.

Após a recepção os visitantes realizarão uma trilha de nível moderado, onde poderão visualizar a Mata Atlântica do local e tomar um delicioso banho de rio.

Voltando à aldeia o grupo conhece a exposição de artesanato indígena, e se desejarem podem adquirir os produtos.

Conhecendo a Aldeia Indígena Tabaçu – Itanhaém e Peruíbe SP:

Situada na divisa dos municípios de Itanhaém/Peruíbe está a Aldeia Indígena Tabaçu, dentro da Terra Indígena Piaçaguera.

O vasto aldeamento foi extinto em 1802 com o argumento de libertar os índios do mando e dos trabalhos forçados a que eram submetidos pelos jesuítas desde o século XVI. Apregoava-se então, à época da extinção do aldeamento, que os índios, uma vez “livres”, poderiam se misturar em meio à população regional, e assim “civilizar-se”. No entanto, como veio evidenciar-se nos anos seguintes, coube à população indígena, uma vez desterrada, dispersa e repelida dos domínios tomados por particulares, o trabalho forçado nas fazendas e propriedades privadas que se expandiram sobre as terras do antigo aldeamento.

Em 2002 a FUNAI delimitou a Terra Indígena Piaçaguera com uma área de 2.795 hectares na divisa do Município de Peruíbe com o Município de Itanhaém. Assim, graças aos índios, esta mesma área que ainda permanece revestida pela restinga nativa, se destaca em toda a faixa litorânea.

Atividades na Aldeia: Recepção + Trilha Interpretativa + Histórias ao pé do fogo + Esportes Tradicionais + Cânticos e Danças + Lazer na lagoa (opcional) + Roda do Auê (encerramento).

Turismo Comunitário Praia Branca – Guarujá SP

turismo

Neste roteiro você terá a oportunidade de conhecer uma comunidade caiçara, seu modo de vida e tradições, em uma das mais belas paisagens do Guarujá.

Iniciamos o passeio com caminhada em meio à Mata Atlântica, até as ruínas da Ermida de Santo Antônio do Guaibê, capela quinhentista (1550) construída a pedido do jesuíta José de Anchieta. O grupo segue para o local do Forte São Felipe e para as ruínas da Armação das Baleias, local onde era feita a extração do óleo da baleia para uso na iluminação de vias públicas e construção civil.

Ao chegarmos na comunidade da Praia Branca iremos fazer um reconhecimento dela, teremos uma roda de conversa (cultura caiçara, modo de vida, meio ambiente e outros) e após almoço. Por ser um roteiro de turismo comunitário, o almoço, roda de conversa e monitoria local são realizados pela própria comunidade., gerando assim autenticidade, economia solidária e sustentabilidade.

Vivência na Aldeia Awa Porungawa Dju – Itanhaém e Peruíbe SP

turismo

A Aldeia Awa Porungawa Dju, da etnia tupi guarani, convida você para conhecer a sua estrutura, projetos, artesanato, seu maior líder espiritual, Pajé Guaíra, além de tomar um banho de mar.

A aldeia está localizada em frente a uma praia nativa, cercada de restinga, na divisa das cidades de Itanhaém e Peruíbe SP.

Esta atividade tem como objetivo fortalecer, divulgar a cultura indígena e gerar renda para a comunidade.

Todos os roteiros precisam ser agendados previamente na Agência, ver as condições de cada um.  Também tem informações sobre transporte, cuidados, roupas adequadas, grau de dificuldade dos passeios.  Devido a pandemia alguns estão suspensos.

Espero que gostem da minha sugestão dessa semana!

Abraços e até a próxima!

LEIA TAMBÉM
Selma Cabral
Últimos posts por Selma Cabral (exibir todos)
0 0 vote
Classifique este artigo
Assine
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
Scroll to top
0
Por favor, comente.x
()
x