Você já viveu em algum triângulo dramático ao longo da sua vida?

 triângulo dramático

É muito comum participarmos ao longo da vida de vários triângulos dramáticos. Segundo Karpman (psicoterapeuta da análise transacional), uma pessoa quando está em um conflito pode triangular ocupando três papéis (posições) que ele chamou de Triângulo Dramático. São eles: Salvador(a), Perseguidor(a) e Vítima. Gosto de chamá-lo de Triângulo Vicioso Dramático, pois é algo que pode se repetir diversas vezes ao longo da vida, como um looping em um programa de computador.

  • O(a) Perseguidor(a) ou Acusador(a) é aquela pessoa que é extremamente crítica e fica muito tensa, irritada e com medo. Gosta de acusar as outras pessoas do triângulo e vive remoendo os problemas do passado. Ele(a) pensa ou fala: “Eu estou certo!”.
  • O(a) Salvador(a) é aquela que quer salvar e ajudar todos mesmo sem ser requisitada, sente pena da vítima e raiva do(a) perseguidor(a). Faz isso para se sentir importante para os outros e para se autoafirmar. Ele(a) pensa ou fala: “Eu sou bom (boa)!”.
  • A Vítima é a pessoa que acha que foi maltratada e abandonada pelos outros. Gosta de manipular, reclamar e se sente frustrada e limitada para realizar objetivos. Não consegue agir e tem medo de olhar para o futuro e para a vida. Ele(a) pensa ou fala: “Eu sou inocente!”.

O primeiro triângulo vivenciado por uma pessoa é na infância, quando a criança presencia brigas e conflitos no relacionamento dos pais ou experimenta sentimentos como tristeza, angústia, medo e ansiedade deles. Assim, pensa de maneira ingênua e inocente que pode salvar o casamento ou resolver esses sentimentos dos seus pais, e acaba assumindo as dores deles. Desta maneira, fica no papel de salvadora dos pais, e estes podem se comportar como perseguidor(a) e/ou vítima. 

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Sentimento de não ser amada, excesso de disciplina, poda da expressão das suas mais puras vontades também são acontecimentos que podem fazer com que uma criança entre e fique neste triângulo assumindo alguma(s) das três posições acima. É muito comum essa triangulação continuar ocorrendo ao longo da vida.

Um exemplo típico de triângulo dramático é o vivido na série da televisão “A Grande Família”, em que os personagens Nenê, Lineu e Agostinho triangulam nos papéis de salvadora, acusador e vítima. Na maioria das vezes a Nenê fica no papel de salvadora se desdobrando na casa(lar) para cuidar de todos da família e apaziguar as brigas entre Lineu e Agostinho. Há alguns episódios em que a Nenê entra no papel de vítima e precisa ser cuidada pelos membros da família dela, mas este papel é uma exceção.

Você pode estar se perguntando: “Elis, como sair deste Triângulo Dramático nos meus relacionamentos, sejam eles entre pais e filhos e relacionamentos afetivos?”.

Segundo o médico e constelador Fernando de Freitas, uma maneira saudável de sair do Triângulo Dramático é evitar os conflitos e entrar no Triângulo da Realização, em que uma única pessoa ocupa três posições: Criança, Adulto(a) e Idoso(a). Gosto de chamá-lo de Triângulo Virtuoso da Realização. Para saber mais sobre ele, acesse o texto que escrevi semana passada: Usar a  criatividade também é uma maneira de cuidar da sua criança interior.

 Neste triângulo virtuoso, uma pessoa vivencia os três papéis: criança, adulto e idoso(a) de acordo com a situação que estiver passando. Exemplo: se precisar de criatividade, entra no papel da sua criança. Quando precisar agir, entra no papel do seu adulto. Quando precisar tomar uma decisão importante, se posiciona como idoso(a) e faz escolhas mais sábias e conscientes.

Muito importante que os pais cuidem da sua própria criança interior para cuidarem das suas crianças (filhos) de maneira mais saudável. A maneira como um pai ou uma mãe cuida da sua criança interior determina como vai cuidar dos seus filhos.

               “Nunca é tarde demais para se ter uma infância feliz.”
                                      Tom Robbins (romancista contemporâneo)

E agora eu convido você a responder as perguntas: 

“Em quais posições do Triângulo Dramático (TD) você já se envolveu ao longo da vida? 

Em quais participa hoje? 

Como e quando vai começar a sair do TD para entrar no seu Triângulo da Realização?  

 

Desejo consciência e sucesso na sua jornada! Até a próxima semana!! Abraço!

Elis Borsoi
5 1 vote
Classifique este artigo
Assine
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
Scroll to top
0
Por favor, comente.x
()
x