fbpx

Comportamento, autodesenvolvimento, papo de alma, bugs mentais, conjuntura geo-econômica-política-espiritual-whatever

Self Hacker: aquele/a que “hackeia” os próprios pensamentos, sentimentos, emoções e atitudes, pra criar consciência, despertar, deixar de ser manipulado/a por quem quer que seja, ser efetivamente dono/a de si, ser livre. Bóra?


 

Vou falar aqui (mais algumas) verdades...     

12 de Abril de 2021 

Santiago Gonzalez Carballo

Por Santiago Gonzalez Carballo

verdades


No final do artigo anterior, semana passada, sugeri que o/a leitor/a buscasse no Google os temas “Teoria de Agendamento” e/ou “Agenda Setting”, pra se informar cientificamente sobre como a mídia/imprensa pode se utilizar de mecanismos de manipulação. Como ciência às vezes pode ser algo meio chato, imaginei que alguns leitores possam não ter feito a busca; então, só pra garantir todos na mesma página, segue um breve resumo desses temas.

Clique e Assine o 40EMAIS e ganhe acesso completo ao conteúdo exclusivo do Portal, como Workshops e Mentorias, além de muitos descontos em lojas, restaurantes e serviços!

Em 1972, há quase 40 anos pois, os pesquisadores Donald Shaw e Maxwell McCombs (quando se for falar de ciência deve-se citar os nomes dos cientistas e o ano da pesquisa, como todo mundo faz hoje nas redes sociais, claro...) concluíram que quanto maior o destaque que se dê a algum assunto nos noticiários, mais a audiência vai achar importante aquele assunto; o que confere à imprensa/mídia a possibilidade de persuadir o público com ideias, opiniões e interesses desses organismos e/ou de seus apoiadores. O principal efeito disso é dizer às pessoas sobre o que devem pensar e não como pensar. Principalmente sobre assuntos da esfera pública, tais como: política, eleições, vida das celebridades, criminalidade e por aí vai.

Então podem estar nos manipulando há 40 anos? Como diria Leônidas:... “Um pouco mais...”

Em 1922, ou seja, há praticamente 100 anos, Walter Lippmann já estudou o assunto, concluindo que a mídia tem papel importante no fornecimento e geração das “imagens em nossas cabeças” que configuram um “pseudo-ambiente” em que vivemos, que não respondem diretamente aos fatos do mundo real. Qualquer semelhança com os dias de hoje é... Enfim...

Nos dias atuais, com algoritmos de Data Mining, Big Data e Inteligência Artificial, é possível multiplicar fontes de notícias de forma exponencial, aumentando muito o poder de alcance de uma notícia, uma publicidade ou uma narrativa que se deseje implantar como “pseudo-ambiente”. Uma pesquisa de 2009 em 1 milhão e 600 mil sites durante 3 meses totalizou 90 milhões de artigos e links, concluindo que um pequeno número de sites consegue gerar grande difusão de conteúdo na rede; a ponto do pico de “time-lag” (tempo necessário para que a influência da mídia sobre o receptor se efetive e se constate) de uma notícia ser de 2 horas e 50 minutos.

Todo esse aparato teórico e tecnológico existe e está em pleno funcionamento. Vivemos uma guerra mundial de narrativas, uma guerra de verdades. Uma guerra de informação, contra-informação e desinformação. O mundo da pós-verdade, das fake news. Nada é sem querer.

Tolo/a quem acredite que isto seja uma realidade localizada só no Brasil, onde perdemos um tempo danado (e vidas) discutindo quem é seu vilão predileto. Quem defende qualquer lateralidade ideológica está alienado/a de si mesmo/a, não percebe que está sendo manipulado/a, sendo incitado/a ao ódio e à divisão, que só interessa aos donos do poder.

Quem são os donos do poder? Como disse Cazuza: “...quero ver quem paga pra gente ficar assim”. Não são os políticos, nem a imprensa/mídia como você pode pensar a princípio. Estes são meros fantoches nas mãos dos donos do mundo. Quem manda no mundo é o tal mercado financeiro global. Duas dúzias de logotipos gigantes, compradores de almas, que financiam as tais “esquerda, centro e direita” e a mídia. O plano é separar para controlar. Bancar ambos os lados dessa eterna rinha de galos, para que se matem em vão, enriquecendo os apostadores.

Pode me chamar conspirador, não tem problema. Na verdade, sou um Self Hacker (releia a definição descrita no topo da coluna). Mas já falei... não vá na minha conversa não!!... Quer outras fontes? Assista o filme “Especialista em Crise” com Sandra Bullock. As ficções hollywoodianas nos mostram verdades entreditas. Depois, me conte o que você concluiu. A sua verdade.

LEIA TAMBÉM

 

Santiago Carballo
0 0 vote
Classifique este artigo
Assine
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
Scroll to top
0
Eu quero saber a sua opinião. Comenta aqui em baixo e vamos discutir esse assunto!!x
()
x