fbpx

Iguape: uma das cidades mais antiga do Brasil

Selma Cabral

Por Selma Cabral

Iguape é uma das cidades mais antiga do Brasil, tem a importante Reserva Ecológica Estação da Juréia-Itatins e a tradicional Festa do Bom Jesus e está fazendo aniversário!

Iguape

Hoje vamos falar de Iguape que está completando 480 anos. Umas das maiores e poucas reservas ecológicas do Brasil está na Estância Turística de Iguape, umas das cidades mais antigas do Brasil, e conhecidas nacionalmente pela a tradicional Festa do Bom Jesus de Iguape e pelo famoso Carnaval. 

Está localizada a 220 km de São Paulo no Litoral Sul Paulista. A região era o divisor de águas ao sul do Tratado de Tordesilhas, entre Portugal e Espanha, por este motivo pode-se dizer que a cidade nasceu quase junto ao descobrimento do nosso país.

A cidade foi palco dos Ciclos do Ouro e do Ciclo do Arroz e, conta-se que nesta época a riqueza era tanta, que as mulheres enfeitavam seus cabelos com ouro em pó. Conheça algumas opções turísticas de Iguape: A Igreja do Rosário (guarda peças dos séculos 18 e 19) e a Basílica do Senhor Bom Jesus de Iguape (estilo barroco foi construída em pedra, argamassa e óleo de baleia). O museu abriga a imagem de Nossa Senhora das Neves, e a do Senhor Bom Jesus de Iguape. Outro local para se conhecer é a Fonte do Senhor. 

Ela é um recanto turístico do Parque Florestal Municipal do Morro do Espia, com uma grande área de lazer e piscinas de fontes naturais. Já nas atrações ligadas a natureza, os visitantes têm a opção de conhecer o Pólo Ecoturístico de Lagamar. Os limites deste pólo turístico estão na área total da Estação Ecológica da Juréia – Itatins. Nessa Estação encontra-se a Cachoeira do Pocinho que é ótima para tirar a água salgada do corpo. A prática de Rapel é feita no Sítio Arqueológico Benedito Fortes, mais conhecido por Caverna do Ódio. A melhor maneira de conhecer o Estuário do Mar Pequeno é a bordo de um barco. Este local é considerado um dos maiores criadouros de espécies marinhas do mundo. Em Iguape é possível visitar o Museu Histórico e Arqueológico, às margens do Mar Pequeno, no centro da cidade. O museu abriga a exposição e venda permanente de artesanato e produtos caseiros. A Estação Ecológica de Chauás possui várias praias, rios, cachoeiras, montanhas e manguezais. Para aqueles que amam a prática de esportes radicais, recomendamos a trilha do Morro do Espia no Mirante da Pedra Lisa, que abriga a estátua do Cristo Redentor. Neste local é possível se encantar com uma vista espetacular da cidade.

Fonte: https://www.guiadoturismobrasil.com/cidade/SP/87/iguape

O que fazer em Iguape:

Principais Pontos Turísticos:

Fonte do Senhor

A Fonte do Senhor é um recanto turístico pertencente ao Parque Florestal Municipal do Morro do Espia. Possui uma área de lazer com agradável vegetação e tranqüilidade. Abriga uma gruta onde conta a história foi lavada a imagem do Senhor Bom Jesus de Iguape e por isso recebe milhares de visitantes durante o ano e especialmente durante a Festa em homenagem ao santo. A Fonte é um dos pontos de partida para a Trilha Ecológica do Morro do Espia.

Mar Pequeno – Manguezais

Região do Mar Pequeno que engloba os municípios litorâneos de Peruíbe, Iguape e Cananéia, no Estado de São Paulo e Paranaguá no Paraná. É rica em vegetação de mangue utilizado como berçário para as espécies marinhas e por isso é considerado um dos cinco maiores criadouros marinhos do mundo.

Mirante do Cristo / Morro do Espia

O Mirante do Cristo Redentor está localizado no Morro do Espia em área coberta por vegetação rasteira de gramíneas a 80 metros da base. Do lugar pode-se avistar a parte urbana de Iguape a Ilha Comprida o Estuário Lagunar do Mar Pequeno o Valo Grande e ao longe a Ilha de Cananéia e Ilha do Cardoso. O mirante é um dos recantos mais visitados de Iguape. O acesso pode ser feito com automóvel de passeio motos bicicletas ou a pé. É um dos pontos de partida para a Trilha Ecológica do Morro do Espia.

Praia da Juréia – Barra do Ribeira

Distante 18 km do centro de Iguape onde o Rio Ribeira deságua no mar. Local com inúmeros atrativos como a praia da Juréia o Rio Suamirim e o Rio Ribeira de Iguape. Lugar excelente para a pesca prática do surfe e passeios de barco e caiaque. É também a porta de entrada para a Estação Ecológica de Juréia-Itatins. Além da estrada o acesso à praia inclui travessia por ferry-boat (balsa).

Praia do Leste

Praia formada a partir do assoreamento do Rio Ribeira de Iguape. A presença de uma lagoa de água doce torna-a singular. Possui ainda extensa vegetação de restinga em freqüente transformação. Está localizada a 15 km do centro da cidade. Devido à forte correnteza e a presença de buracos não é recomendável para banho.

Outeiro do Bacharel

Morro coberto por vegetação rasteira de gramíneas localizado no bairro Icapara. Possui uma trilha de aproximadamente 1 km a partir do centro de bairro que leva ao pico onde se encontra o farol utilizado para sinalizar as embarcações que adentram ao Mar Pequeno. Do local avista-se a Barra do Icapara o encontro do Rio Ribeira de Iguape com o Oceano Atlântico a Ilha Comprida o Maciço da Juréia e os ecossistemas associados como restinga manguezal e a mata atlântica.

Trilha Ecológica do Morro do Espia

A trilha possui cerca de 2 km de extensão e pode ser iniciada a partir de quatro pontos a sede do IBAMA a Fonte do Senhor o Mirante do Cristo Redentor e a antiga Fazenda da Porcina. Durante o percurso pode-se observar variadas espécies da flora da mata atlântica como figueiras embaúbas bromélias e orquídeas além de vislumbrar a paisagem de toda a cidade pelo mirante da Pedra Lisa o ponto culminante da trilha.

Trilha Ecológica da Vila Alegria

A trilha inicia-se no bairro Barra do Ribeira com a travessia do Rio Suamirim seguida de caminhada sobre o mangue através de uma passarela construída em madeira com cerca 300 metros. O passeio inclui a visita a um casarão construído no século XIX.

Trilha do Imperador

Trilha ou Caminho do Imperador recebeu esse nome por servir de passagem de informações entre o Império e outras regiões do Brasil. Em 1871 foi inaugurada a linha telegráfica entre Iguape e Santos. Ainda hoje na extensão do Caminho pode-se encontrar vestígios dos centenários postes telegráficos motivo pelo qual o caminho também é conhecido por Trilha do Telégrafo. Além disso, a trilha também serviu para o transporte de mercadorias entre Iguape Santos e todo o litoral. Conta à história que possivelmente a imagem do Senhor Bom Jesus de Iguape tenha sido trazida para o centro da Vila através dessa trilha.

Costão da Juréia

Núcleo pertencente à Estação Ecológica de Juréia-Itatins localizado entre a Vila do Prelado e o Costão no Maciço da Juréia é a porta de entrada para a Trilha do Imperador. No local ao final da Praia da Juréia pode-se observar ecossistemas costeiros como dunas restingas e mata atlântica de planície seguidos da mata de encosta na Serra da Juréia. O acesso ao Costão depende de horário da maré.

Atrativos Histórico-Culturais

Museu Histórico e Arqueológico

Localizado no centro histórico está instalado no prédio onde existiu a 1º Casa de Fundição de Ouro do Brasil no século XVII. Conta com duas exposições. Na exposição histórica são encontrados painéis gráficos e fotográficos objetos e documentos sobre a escravatura e os ciclos do ouro e arroz. Na exposição arqueológica encontram-se sinais da ocupação pré-colonial como objetos líticos ósseos e cerâmicos encontrados nos sambaquis e confeccionados por grupos humanos da Pré-História Brasileira.

Sítio Arqueólogo Caverna do Ódio

Ocupado por períodos sucessivos de curta duração o abrigo conhecido como Caverna do Ódio serviu a um pequeno grupo que aí se instalou para pescar e coletar moluscos. O local é hoje um sítio arqueológico onde se encontra vestígios de ações destes grupos representados através da estratigrafia que mostra a sobreposição de camadas correspondentes às diversas ocupações com a presença de manchas de carvão das fogueiras de restos ósseos de peixes e de pequenos animais e carapaças de moluscos e crustáceos

Museu de Arte Sacra

Instalado na Igreja do Rosário (entrada lateral) datada do século XVIII o Museu de Arte Sacra recebeu reforma no prédio e restauração em seu acervo constituído por cerca de 100 peças dos séculos XVIII e XIX envoltas em vitrines de acrílico. São santos pratarias estandartes religiosos e relíquias do passado e da história religiosa da cidade.

Centro Cultural

Espaço mantido pela Prefeitura de Iguape reservado para exposições oficinas culturais peças teatrais dentre outras atividades ligadas à cultura. Está instalado em construção do século XIX no centro histórico da cidade.

Centro Histórico – Casario Colonial

Compreende o maior centro histórico e arquitetônico preservado do Estado de São Paulo com 64 imóveis em estilo colonial português entre eles casarões e Igrejas. Nessas construções ricas em detalhes foram utilizadas técnicas como a taipa francesa e a taipa de pilão com porta-janela e varandas. O conjunto de construções retrata os ciclos do ouro e do arroz períodos de grande desenvolvimento econômico de Iguape.

Basílica do Senhor Bom Jesus de Iguape

Templo católico construído em pedra argamassa e óleo de baleia por escravos entre os séculos XVIII e XIX. Em seu acervo encontram-se imagens de santos entre elas a de Nossa Senhora das Neves (Padroeira) e do Senhor Bom Jesus de Iguape imagem encontrada na Praia do Una (Juréia) em 1647. A Basílica guarda também a Sala dos Milagres com objetos deixados pelos devotos por graças recebidas. A festa em louvor aos padroeiros é comemorada nos dias 5 e seis de agosto.

Igreja de São Benedito

Construção do final do século XIX reuniu os seguidores da Irmandade de São Benedito formada a partir do desentendimento entre membros da irmandade de Nossa Senhora do Rosário. A Igreja foi bastante freqüentada por negros naquele período. Hoje recebe devotos de todos os lugares especialmente no dia 6 de janeiro quando é comemorado o dia de São Benedito sendo também feriado municipal.

Bairro do Icapara

Distante 10 km do centro da cidade o bairro foi a primeira localidade habitada no início da colonização por volta de 1538 (data oficial de fundação de Iguape) ou até mesmo antes da chegada dos portugueses tendo uma forte influência dos espanhóis na formação do seu povoado. É conhecido por abrigar muitas famílias de pescadores e por isso é um dos poucos bairros que ainda mantém viva a tradição e a cultura caiçara.

Fonte: http://www.iguape.tur.br/cultura.htm

LEIA TAMBÉM

Selma Cabral
Últimos posts por Selma Cabral (exibir todos)
0 0 vote
Classifique este artigo
Assine
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
Scroll to top
0
Por favor, comente.x
()
x