fbpx

Roma – A Cidade Eterna

Selma Cabral

Por Selma Cabral

Roma


Roma, a ‘cidade eterna’, completou 2.774 anos de existência nesta quarta-feira (21). A data, chamada “Natal de Roma”, remete à lenda da fundação da “cidade eterna” por Rômulo, em 21 de abril de 753 a.C.

Pelo segundo ano seguido, o município não promoveu comemorações presenciais devido à pandemia do novo coronavírus.

Mas vamos conhecer um pouco da História que faz um bem danado para a alma:

Clique e Assine o 40EMAIS e ganhe acesso completo ao conteúdo exclusivo do Portal, como Workshops e Mentorias, além de muitos descontos em lojas, restaurantes e serviços!

Como existem poucas referências históricas e documentais sobre a fundação da cidade, acabou prevalecendo a mitologia. Reza a lenda que Amúlio, irmão do rei de Alba Longa, Numitor, conseguiu dar um golpe e prender o monarca, fazendo a filha deste, Reia Silvia, casta para que o soberano não tivesse uma linha de descendência.

No entanto, Marte, deus romano da guerra, engravida Reia, que dá à luz os gêmeos Rômulo e Remo. Sabendo da existência dos bebês, Amúlio pede para que um empregado os mate, mas este, com pena, joga os dois no rio Tibre e espera que as crianças nunca mais voltem.

Mas elas são resgatadas por uma loba, que cuida dos bebês até que um casal de pastores os encontra. Tempos depois, Remo se envolve em uma briga com vizinhos e acaba preso. Quando Rômulo salva o irmão, descobre sobre sua história e consegue matar Amúlio e salvar Numitor.

Como agradecimento, o avô dos jovens permite que os dois fundem uma cidade às margens do Tibre. Depois de conflitos sobre quem governaria o novo reino, Rômulo acaba matando seu irmão e criando Roma.

A escultura que retrata os irmãos sendo amamentados pela loba, a “Lupa Capitolina”, é um dos ícones da capital da Itália e fica em frente à sede da Prefeitura.

Roma é um destino que não precisa de muito tempo para nos conquistar. A capital da Itália, cheia de história e impressionantes construções, é um lugar que rapidamente ganha nosso coração. Com Museus, excelentes restaurantes, bom transporte público e variedade de pontos turísticos, a capital italiana é a mistura da tradição e da inovação.

Vívida, alegre e ao mesmo tempo caótica, Roma é um lugar onde a vida moderna anda de mãos dadas com o passado.  É um lugar tão versátil que ao caminhar para desbravar suas ruas, você pode se deparar com as mais novas vitrines do mundo da moda ou se ver defronte a belíssimas construções com quase dois mil anos de vida.

Andar a pé pelas ruas da cidade é a melhor forma de descobrir cada cantinho. E Roma tem tanto o que fazer, tantas oportunidades diferentes, tantas atrações e praças, que planejar-se para explorar a cidade se torna essencial!

Pontos Turísticos de Roma

1. Coliseu

roma

Não há como fazer uma viagem a Roma e não ir a Coliseu ou ao menos tirar uma foto em seus arredores. A antiga arena romana onde gladiadores faziam seus embates é um dos pontos turísticos imperdíveis na cidade e que representa muito da história do país. O lugar foi construído a partir de 72. d.C. como uma arena em que pessoas de diferentes classes sociais poderiam se divertir e se entreter, em especial com as lutas entre gladiadores e animais ferozes. Acredita-se que o público da arena atingisse até 70 mil espectadores!

A construção do espaço é impressionante, não apenas por seu tamanho e pelos enormes blocos de pedra, mas também pelo que se sabe de sua construção da época do Império Romano, quando havia espécies de elevadores e rampas que faziam o acesso entre a parte inferior e superior da arena. O também chamado Anfiteatro Flavio está aberto ao público, que pode visitá-lo internamente em visitas por conta própria ou com guia.

Recomendamos muito que você faça uma visita ao Coliseu e que a faça acompanhado de um guia, que poderá dar detalhes de sua construção, das lutas dos gladiadores e todo contexto histórico que o evolve. A atração costuma ficar muito cheia, muitas vezes com longas filas para a compra de ingressos, que você pode evitar ao comprá-lo antecipadamente pela internet, através do cartão de crédito.

Outra dica muito boa é fazer a visita guiada durante à noite, quando a quantidade de pessoas visitando o lugar é infinitamente menor e quando se tem a oportunidade de conhecer também a área inferior do Coliseu, que é uma parte mais restrita. A dica de comprar o ingresso antecipadamente permanece, especialmente para a visita noturna chamada La Luna Sul Colosseo.

2. Fórum Romano e Palatino

roma

Parte integrante do ingresso do Coliseu, o Foro Romano corresponde a uma área próxima à antiga arena, e é o espaço onde aconteciam as principais atividades da vida da sociedade romana imperial e republicana.

Ali ficavam edifícios públicos e religiosos, como templos e praças, aconteciam discursos, processos e cerimônias públicas. Hoje a área encontra-se em ruínas, mas alguns edifícios estão muito bem conservados e podem ser visitados internamente.

Entre os pontos de interesse do Foro Romano estão o Templo de Saturno, Basílica Emilia, Arco de Settimio Severo, e a Via Sacra, principal rua da época. Já o monte Palatino, é uma das colinas que ficam ao redor de Roma e próxima ao Foro Romano, mas cerca de 40 metros acima e que por sua altura, oferece uma vista muito legal para o Foro Romano.

Foi na antiga área do Palatino que se acredita que se deu início a cidade de Roma, por volta de VIII a.C. É um outro passeio que guarda restos de antigas construções e palácios feitos para a alta sociedade romana, além de oferecer uma bonita paisagem para todo o sítio arqueológico.

O Coliseu, Foro Romano e Palatino fazem parte de um bilhete integrado que contempla os três pontos turísticos e por isso há quem visite os três no mesmo dia, mas o bilhete pode ser usado em 2 dias. Visitar as três atrações em um mesmo dia pode ser um pouco cansativo porque anda-se bastante dentro deles, sendo assim, sugerimos dividir sua visita em dois dias: um para o Coliseu e outro para o Foro Romano e Palatino.

3. Fontana di Trevi

roma

Com 26 metros de altura por 20 de largura, a Fontana de Trevi é a maior fonte da capital italiana e que precisa entrar na sua lista de coisas imperdíveis para fazer em Roma, seja durante o dia ou pela noite. Cenário de muitos filmes, ela é um ícone de Roma, faz parte de uma das fachadas do Palazzo Poli e foi projetada por Nicola Salvi.

Localizada no coração da capital, é um ponto turístico de Roma que está sempre cheia praticamente a qualquer hora do dia — quem quer vê-la sem a competição rostos em suas fotos pode tentar acordar bem cedinho ou ir quase de madrugada para vê-la com menos pessoas ao redor, isso fica mais fácil principalmente no inverno.

Uma tradição entre os visitantes é jogar de costas uma moeda nas águas da fonte, com a intenção de trazer boa sorte e retorno à cidade — o montante é recolhido e usado para caridade.

4. Panteão (Pantheon) e a Praça da Rotonda

roma

No centro histórico da cidade, o Pantheon é um antigo templo romano dedicado a todos os deuses convertido em igreja, com o nome de Basílica de Santa Maria e Mártires em Roma. É um passeio que você não deve deixar de fazer em Roma. É um lugar de impressionante arquitetura, com formato circular e com enorme pé direito, além de uma cúpula singular, com 43 metros de diâmetro que possui uma abertura central onde entra luz e ocasionalmente chuva. Dentro do Panteão estão os túmulos de personalidades importantes da história da Itália, como Rafael e dois reis italianos, Humberto I e Vittorio Emanuelle II, símbolo da unificação italiana.

roma

Como é uma igreja, o local é aberto gratuitamente ao público e está localizado na Praça (Piazza) da Rotonda. Por ser um templo religioso só fique atento às regras de vestimenta e comportamento durante a visita, sobretudo nos horários de missa no local.

O Panteão celebras missas os sábados, às 17h e aos domingos às 10h30.

5. Vaticano: Praça de São Pedro e Basílica de São Pedro

roma

A sede da igreja católica está localizada no menor estado soberano do mundo, o Vaticano. E fazer uma visita ao Vaticano quando estiver em Roma é um passeio muito legal, mesmo que o catolicismo não seja sua religião. O espaço é aberto ao público e tem construções monumentais e icônicas, dentre elas a Praça de São Pedro, uma praça de estilo barroco, aberta aos fiéis.

roma

A basílica de São Pedro, com seus 23 mil metros quadrados, é o edifício católico mais importante do mundo. Sua construção imponente e rica em detalhes, com enormes colunas, recebeu contribuição de diversos artistas, dentre eles Rafael e Michelangelo. O local é reconhecido como patrimônio da UNESCO e entre seus pontos de interesse estão o túmulo do Papa João Paulo II e sua cúpula, aberta ao público e que oferece uma vista linda — o acesso à cúpula pode ser feito apenas por escadas, por € 8 (são 551 degraus) ou escadas + elevador, por € 10. As filas para entrar na basílica são enormes, então vá preparado para conhecer o lugar sem pressa.

roma

Às quartas-feiras a praça recebe a Audiência Papal, um momento de encontro entre o Papa e fiéis de todo mundo.

6. Museus Vaticanos

Os Museus Vaticanos são um conjunto de museus localizados dentro da cidade-estado do Vaticano, que possuem um acervo impressionante, com obras muito variadas e de diferentes momentos da história. O ponto alto do lugar é a visita à Capela Cistina, que impressiona por sua beleza e pelo trabalho de grandes artistas, como Michelangelo. O conglomerado de museus e galerias possui coleções adquiridas por vários pontífices e teve início em 1506 pelo Papa Giulio II.

Hoje o Museu Vaticano está dividido em diferentes áreas, entre elas o Museu Egípcio, Museu Etrusco, a Pinacoteca Vaticana – por lá você poderá apreciar desde peças do antigo Egito, esculturas gregas e romanas, até obras de Leonardo da Vinci, Giotto e mais recentes como Salvador Dalí e Van Gogh.

O museu recebe em torno de 6 milhões de visitantes ao ano e costuma ser uma atração bastante cheia, sempre com muitos turistas. É recomendável comprar o ingresso com antecedência.

7. Piazza Venezia (Praça Venezia)

Roma
Fonte: romeinformation.it

Uma das principais praças de Roma, a Piazza Venezia marca o encontro de 5 grandes vias da capital italiana e reúne importantes edifícios ao seu redor, dentre eles o Monumento a Nacional a Vittorio Emanuelle II, símbolo da unificação italiana.

O imponente monumento a Vittorio Emanuelle, ou “Altar da Pátria”, foi construído entre 1885 e 1935 em estilo neoclássico, com mármore branco. No local fica o Museu do Risorgimento, como é chamado o movimento da unificação de Itália, um possui um terraça panorâmica de onde se tem uma vista belíssima para a cidade e para o Foro Romano, e abriga o túmulo do soldado desconhecido, representando todos aqueles que morreram durante a Primeira Guerra.

8. Praça do Capitólio e Museus Capitolinos

O Monte Capitolino é outra das 7 colinas em que Roma foi fundada e que desde o século XVI assumiu a aparência que hoje tem, projetada por Michelângelo. A praça, que reuniu as atividades civis da cidade até o fim da Idade Média, foi criada de forma a ficar voltada para a Basílica São Pedro, no Vaticano, e abriga edifícios importantes como o Palazzo Senatorio, o Palazzo Nuovo e o Palazzo dei Conservatori –nesses dois últimos palácios funcionam os Museus Capitolinos —, além de uma escadaria emblemática, onde muita gente tira fotos.

Os Museus Capitolinos (Musei Capitolini) fazem parte de um complexo de grande importância para a cidade, já que foram fundados em 1471, um dos mais antigos museus do mundo. Ele possui importantes obras relacionadas à cultura local, inclusive abriga a estátua da Loba Capitolina, símbolo da origem de Roma.

9. Piazza Navona (Praça Navona)

roma
fonte: romeinformation.it

Localizada no centro histórico de Roma, a Piazza Navona é outro passeio imperdível na cidade, que provavelmente você acabará conhecendo em suas andanças pela região.

A praça foi construída onde antigamente ficava um estádio romano e tem diversos edifícios bonitos ao seu redor, alguns de arquitetura barroca, além de restaurantes e cafeterias. É um lugar que está geralmente movimentado, com artistas de rua e pessoas tomando um bom gelato.

A praça possui 3 grandes fontes, sendo elas entre elas a Fontana dei Quatro Fiumi, Fontana del Moro e Fontana del Nettuno, além de construções imponentes como a Palácio Pamphilj, onde está instalada a embaixada brasileira.

10. Piazza di Spagna (Praça da Espanha)

roma
fonte: romeinformation.it

Outra das emblemáticas praças de Roma, a Piazza di Spagna (Praça da Espanha), anteriormente conhecida como Praça da França, possui uma fonte em estilo barroco, a Fontana della Barcaccia e está aos pés da escadaria que leva à igreja Trinità dei Monti.

Ao redor da praça está localizada a Embaixada da Espanha, além de muitas lojas e restaurantes. A fonte que fica no centro da praça é sempre procurada para fotos, assim como a emblemática escadaria, onde muitas pessoas aproveitam para ou descansar de seus passeios a pé pela cidade.

11. Castelo de Santo Ângelo

roma
fonte: romeinformation.it

São tantos passeios em Roma que você pode ficar em dúvida de quais deles fazer, mas um lugar que vale a pena entrar na sua programação se gosta de construções antigas e atrações históricas é visitar o Castelo de Santo Ângelo. Está localizado às margens do Rio Tibre e é também conhecido como Mausoléu de Adriano, porque essa foi a primeira função da construção, servir de tumba para o imperador e sua família. Ao longo dos anos a construção ganhou outras funções, como fortaleza militar, fortaleza papal além de e prisão e hoje o espaço é um museu, sede do Museu Nacional.

A visita ao Castelo é interessantíssima! Nos andares inferiores você pode admirar a construção com partes originárias do Império Romano e referentes ao mausoléu. Já nos andares superiores estão salões ornamentados e de desenho renascentistas, referentes ao período em que a fortaleza pertenceu a Papas.

Um dos pontos de interesse da edificação é o Passeto di Borgo, uma passarela que ia do castelo ao Vaticano. No último andar, o visitante termina seu passeio com chave de ouro, porque o lugar tem um terraço com vista panorâmica, que permite admirar boa parte da área central de Roma.

Por lá você também encontra uma cafeteria que tem uma vista belíssima! Vale a pena comprar seu ingresso para o passeio com antecedência, assim você evitará filas e garantirá o seu passeio. Outra dica é realizar um tour guiado com guia do Castelo ou então baixar o app do próprio Castelo, que permitirá fazer um “auto-tour guiado”.

12. Catacumbas de São Calisto, principais catacumbas em Roma

roma
fonte: romeinformation.it

As catacumbas de São Calisto são um complexo mortuário utilizado pela Igreja de Roma durante século III. Elas são compostas por uma espécie de túneis subterrâneos, localizadas em uma área que ocupa 15 hectares. Cerca de 500 mil pessoas foram enterradas entre os labirintos de túneis que fazem parte do complexo e que pode ser conhecido através de visitas guiadas.

Inicialmente você pode ficar relutante em fazer um passeio tão diferente, mas pode ser realmente muito interessante. Os túneis chegam a atingir 20 metros de profundidade e são compostos pelos mais variados tipos de túmulos, desde alguns mais simples a outros ornamentados, geralmente dedicados a Papas e personalidades da época.

As visitas às Catacumbas de São Calisto sempre são feitas na companhia de um guia, que explica a história do lugar e dos sepultamentos.

13. Igreja San Luigi dei Francesi – Igreja de São Luís dos Franceses

Construída também no centro de Roma, entre importantes edificações, como o Pantheon e a Piazza Navona, essa pequena igreja de estilo barroco foi construída para abrigar a comunidade francesa em Roma. É uma igreja em que estão ressaltadas de interior cheio de detalhes, com uma decoração que exalta personalidades francesas. O lugar é conhecido por ser uma espécie de pequeno museu e abriga obras de arte importantes, dentre elas obras de Caravaggio na Capela Contarelli.

14. Basílica de Santa Maria del Popolo

Situada no centro histórico de Roma, a Basílica de Santa Maria del Popolo está localizada em uma praça de mesmo nome e se destaca principalmente por abrigar grandes obras de arte. A igreja teve origem a partir de uma pequena capela e ao longo dos anos foi reconstruída e aumentada, passando por diferentes intervenções, inclusive de grandes artistas, como Rafael, que projetou a Capela Chigi.

A igreja tem um interior com obras de artistas como Caravaggio, Bernini e Alessandro Algardi. Suas capelas são muito bonitas e o passeio é uma boa adição às suas andanças no centro da cidade.

15. Villa Borghese e Galeria Borghese

roma
fonte: romeinformation.com

Essa belíssima galeria reúne obras de grandes artistas italianos e está instalada e um edifício muito bonito, localizado no parque homônimo. Sua coleção teve início com a paixão pela arte do cardial Scipione Borghese, que começou a coleção com obras familiares e foi responsável pela construção do edifício. Hoje o lugar tem obras de Rafael, Caravaggio, Ticiano, Antonio Canova, entre outros artistas de renome.

A visita à Galeria Borghese é sempre feita através de agendamento prévio (vale a pena fazê-lo com semanas de antecedência) e como o museu está dentro do parque, você pode separar um tempinho para conhecer ambos no mesmo dia. O museu é super bonito, não é gigante e o parque ao seu redor é ótimo para um passeio em um dia bonito de sol. Reserve aqui seu passeio guiado.

16. Templo de Adriano

Roma é um lugar impressionante por vários motivos e o Templo de Adriano é prova disso. Ele é uma belíssima surpresa aos viajantes desavisados, que sem mais nem menos, se pararam com a enorme fachada desse antigo templo romano ao caminhar pela cidade. A edificação possui colunas com 15 metros de altura e 1,5 metros de diâmetro.

Hoje a fachada construída em torno do século II pertence ao edifício da Bolsa de Valores e embora não esteja em sua plena forma, antagoniza com as construções mais recentes ao redor, tornando única essa incorporação de ruínas do Império romano à vida moderna.

17. Trastevere

Localizado às margens do Rio Tibre, Trastevere é um dos bairros mais charmosos de Roma, ótimo para fazer uma boa refeição ou para sentar-se em um de seus bares e tomar uma bebida. A região tem edifícios que são um verdadeiro charme, além de pontos de interesse como a Porta Portese e a Basílica de Santa Maria in Trastevere. É um lugar que parece um pouco um labirinto, com muitas ruazinhas de pedra e restaurantes de boa qualidade — a noite na região costuma ser animada!

18. Belvedere de Gianicolo

Localizado próximo a Trastevere, esse ponto panorâmico pode ser um ótimo passeio para quem busca algo diferente na cidade, sem precisar ir muito distante. Localizado no alto de uma das colinas dos arredores de Roma, ele oferece uma visão panorâmica da cidade e tem um monumento dedicado à Giuseppe Garibaldi. Lá de cima você pode ter uma vista super bonita de Roma e em um dia de tempo aberto e tirar boas fotos!

19. Boca da Verdade – Bocca della verità

A Boca da Verdade é uma escultura em mármore com a feição de um rosto humano bastante peculiar que está localizada na Igreja Santa Maria in Cosmedin. Acredita-se que a escultura seja uma tampa de esgoto decorativa da Roma Antiga, mas que durante a Idade Média ganhou um significado diferente: a enorme boca da escultura teria a função de identificar quem falava a verdade ou mentia; bastava colocar a mão dentro de sua boca e quem mentisse, teria o braço arrancado. Verdade ou não, a escultura segue sendo um ponto bastante visitado da cidade!

20. Passeio de barco pelo Rio Tibre

Passeios de barco são uma maneira relaxante e divertida de explorar uma cidade por um novo ângulo e em Roma estão disponíveis passeios de barco pelo Rio Tibre. Para quem quer sair daquele roteiro básica ou até descansar das andanças pela cidade, pode ser ótima pedida em uma tarde ensolarada!

21. MAXII

Inovador e supermoderno, o museu MAXXI se distingue de muitos outros pontos turísticos de Roma por ter coleções voltadas para a arte moderna e contemporânea. Projetado pela arquiteta Zaha Hadid, ele oferece um passeio bem diferente do que se vê no restante de Roma, que geralmente tem atrações de Roma antiga.

Igrejas de Roma: Basílicas Papais

Roma tem dezenas de igrejas e é até difícil escolher uma favorita ao visitar a cidade, mas dentre as mais importantes estão as quatro basílicas papais, são elas a Basílica de São Pedro (no Vaticano), a Basílica de São João Latrão, a Basílica de São Paulo Extramuros e a Basílica de Santa Maria Maior. Para quem quer fugir do roteiro mais básico pela cidade, elas oferecem passeios muito interessantes.

22. Basílica Papal de Santa Maria Maior

Primeira igreja do Ocidente dedicada à Maria, ela é considerada uma das maiores igrejas de Roma e foi construída em meados do século V. Chamada também de Basílica Liberiana, ela conserva importantes elementos em sua construção, dentre eles um mosaico na neve central e uma porta santa, várias capelas belíssimas, além do altar maior. O local impressiona por seu interior rico, incluindo elementos do período paleo cristão até barroco. A Capella Sistina, a Capela Paolina e seu teto de ouro, são alguns dos pontos a observar nessa belíssima basílica.

23. Basílica Papal de São João Latrão

Catedral da Diocese de Roma, essa “arquibasílica” é uma das mais antigas dentre as basílicas papais do mundo. Ela é famosa por abrigar a cátedra do Bispo de Roma, o Papa. Ela também é conhecida como a mãe de todas as igrejas e foi a primeira das quatro basílicas papais a ser construída. Embora fique fora dos limites do Vaticano, a basílica dispõe de direitos extraterritoriais. Com uma construção iniciada no século IV, a arquibasílica foi dedicada inicialmente a São João Batista e a São João Evangelista, que são co-patronos do local.

Com uma construção muito imponente, capelas bem adornadas, claustro e um enorme pé direito, ela oferece um ótimo passeio em Roma. A Basílica de São João Latrão tem missas em vários horários por dia.

24. Basílica Papal de São Paulo Extramuros

A Basílica Papal de São Paulo Extramuros ou Basílica Papal de São Paulo Fora dos Muros é uma das quatro basílicas papais de Roma e recebeu esse nome por ficar fora da Muralha Aureliana, erguida durante o período do Império. A basílica, que é considerada Patrimônio da UNESCO, teve sua construção iniciada no século IV e foi reformada e aprimorada ao longo dos anos. Ela guarda o túmulo do apóstolo São Paulo e tem interior muito bonito, com uma homenagem a todos os Papas da igreja.

O conjunto arquitetônico do lugar é grandioso, com muitos mosaicos, tetos adornados e uma enorme estátua dedicada a São Paulo, além de uma abadia beneditina e um claustro.

25. Onde ficar em Roma

A variedade de hotéis em Roma é enorme e apesar de não ser um lugar com acomodações baratinhas, é possível encontrar opções com um bom custo-benefício. A dica é tentar sempre começar a pesquisar hotéis alguns meses antes da viagem, porque dessa forma será mais fácil encontrar disponibilidade nos hotéis que oferecem um bom custo-benefício.

Os principais pontos turísticos de Roma estão no centro histórico, que é a região com melhor localização para fazer atividades a pé.

Uma dica sempre importante, é não deixar para fazer sua reserva em cima da hora, porque dessa forma você provavelmente encontrará maior disponibilidade nos hotéis que oferecem bom custo-benefício.

Como chegar a Roma

Roma tem o aeroporto mais movimentado da Itália, o Aeroporto Internacional Leonardo da Vinci de Fiumicino (FCO), localizado a cerca de 30 km do centro da cidade. Existem voos diretos entre o Aeroporto de Guarulhos e Roma com a Alitalia e diversas outras possibilidades de voos fazendo uma conexão em outros destinos da Europa ou até em outros aeroportos da Itália, como o Aeroporto de Milão (Malpensa), que tem voos diretos com a Latam.

Uma alternativa para chegar a Roma, principalmente para quem parte de outras cidades europeias, é utilizar o Aeroporto de Ciampino, a cerca de 27 km do centro de Roma, conhecido por operar principalmente voos de companhias low cost.

Como ir do Aeroporto de Roma Fiumicino até o centro:

O Aeroporto Leonardo da Vinci é o principal meio de chegada dos brasileiros à Itália e para fazer o deslocamento entre o local e o centro da cidade, você pode usar diferentes meios. Avalie sempre qual a melhor opção para o seu caso e considere que se você estiver em família, um táxi poderá ser mais econômico. Para pequenos grupos, o trem rápido Leonardo Express é uma ótima opção!

  • Táxi: tarifa fixa de € 48 até o centro
  • Transfer:  O valor depende da empresa e custa em média € 45. Reserve aqui o seu transfer.
  • Trem expresso: cômodo e rápido, o trem Leonardo Express. realiza o trajeto entre o Aeroporto de Roma e a estação Roma Termini em 32 minutos por € 14. A passagem pode ser comprada na hora, lembre-se apenas de validá-la em uma das máquinas antes do embarque.
  • Trem regional: Opção econômica, o trem regional da linha FL1 parte de/para o Aeroporto até a estação Roma Tiburtina e custa a partir de € 8.
  • Ônibus do Aeroporto de Roma ao centro: Diferentes empresas fazem o transporte entre o Aeroporto de Fiumicino e o centro de Roma, partindo do Terminal 1 ou 3 do Aeroporto de Fiumicino. Os valores variam entre 7 e 10 euros (uma perna) e as partidas do aeroporto acontecem entre 20 e 40 minutos dependendo da empresa. Todas as empresas de ônibus param ou passam por Roma Termini, a principal estação de trens de Roma, mas algumas empresas têm outros pontos de parada adicionais e que podem ser mais convenientes para ficar mais próximo do seu hotel. Além disso, há empresas que funcionam também durante a noite. Os bilhetes podem ser comprados online e muitas vezes são um pouco mais econômicos dessa forma, ou também na hora do embarque

Veja aqui mais informações sobre os ônibus para o aeroporto de Roma:
– Os ônibus da SIT, têm partida a cada 30 minutos do T3, passam também pelo Vaticano e custam € 7
– Os ônibus da Terravision levam em torno de 40 minutos de percurso, custam 10 euros e saem do T3 a cada 30 minutos.
– Rome Airport Bus: 9,90 por trecho
– Já os ônibus da Cotral saem do T1 e fazem percursos noturnos.

Transportes em Roma:

A melhor forma de explorar o Roma e seu centro histórico é fazendo caminhadas. Sendo assim, planeje-se para estar com roupas e calçados confortáveis para caminhar, principalmente porque a cidade tem muitas ruas de pedra e calçados desconfortáveis não combinam nada com a estrutura da cidade. Quando as distâncias que você precisa percorrer forem mais distantes e desconfortáveis para fazer caminhando, basta usar o transporte público.

Transporte público: metrô, ônibus e bonde – O transporte público de Roma é composto pelo metrô, pelas linhas de ônibus e de bonde elétrico — eles funcionam bem, com horários estabelecidos de saída dos veículos e parada em cada uma das estações. O sistema da cidade é bem completo e cada bairro ou região poderá ser atendida por um tipo de transporte, então para cada destino que você precisar ir, pode ser que um tipo de transporte se sobressaia e seja mais conveniente para aquele trajeto.

Uma informação superimportante é que um mesmo bilhete de transporte serve para o metrô, ônibus e bonde de Roma. O BIT (bliglietto integrato tempo) custa 1,50 euro e tem duração de 100 minutos de uso no transporte público da cidade; seu bilhete pode ser comprado em qualquer tabacaria. Outra opção é adquirir bilhetes que duram mais tempo e permitem o uso ilimitado pelo período adquirido em qualquer transporte: o bilhete de 24 horas custa € 7 e o de 72h custa € 18.

– O metrô de Roma, ou metropolitana como chamam em italiano, tem 3 linhas (A, b e C) e quase 60 km de alcance. Pode ser um meio muito útil para distâncias longas e rápidas.
– O bonde elétrico, também conhecido como tram ou VLT é composto por 6 linhas e percorre cerca de 36 km da cidade. É muito útil na região central de Roma e para explorar seus pontos turísticos.
– A rede de ônibus ou pullman de Roma é bem extensa. Os pontos de ônibus possuem telas que informam em quanto tempo falta para cada linha/ônibus chegar ao ponto desejado — nem sempre funciona com tanta precisão, é verdade, mas boa parte das vezes sim.

Táxi em Roma:

Para complementar suas andanças pela cidade você pode utilizar os táxis, que não são tão baratos quanto o transporte público, mas pode ser um bom aliado em determinadas ocasiões, principalmente quando você estiver com malas. A oferta de táxis em Roma é muito grande e você pode pegá-los na rua ou através de um aplicativo, que torna a experiência mais segura — para isso utilize apps como o Free Now (antigo My Taxi) ou It Taxi. A Uber até está disponível na cidade, mas não é tão popular quanto os táxis e muitas vezes não tem veículo disponível.

Passeios próximos a Roma:

Roma está na região Central da Itália e com o bom sistema de transporte de trens que a o país possui, fica relativamente fácil viajar pela Itália. Pensando nisso, muita gente inclui em seu roteiro uma visita a outras cidades próximas de Roma. Veja algumas sugestões:

  • Pompeia, a cerca de 250 km de Roma, o sítio arqueológico de Pompeia é um Patrimônio da UNESCO e um dos lugares mais incríveis do país. A cidade romana destruída no século I d.C. pelo vulcão Vesúvio está muito bem conservada e tem tesouros surpreendentes.
  • Nápoles – A caótica capital da região da Campânia é o estereótipo da visão que muitas pessoas têm sobre o país. Ainda que não seja tão popular entre os turistas em um primeiro roteiro pelo país, tem pizzas muito tradicionais e que são uma delícia!
  • Reggia di Caserta (Palácio Real de Caserta) – A Reggia di Caserta é um antigo palácio real considerado patrimônio da UNESCO. Ela é uma das maiores residenciais reais do mundo está cercada por belos jardins.
  • Civita di Bagnoregio – Com apenas 8 habitantes dentro do vilarejo, Civita faz parte da cidade de Bagnoregio, e está localizada a cerca de 130 km de carro de Roma. O local faz parte de região montanhosa e nasceu sob uma colina, que ao longo dos anos vem sofrendo com erosões. Embora conhecida pelo estranho título de “cidade que morre”, seu aspecto medieval é muito interessante e certamente vale uma visita.

Para quem tem mais do que apenas um dia livre no roteiro considere visitar cidades próximas como:
– Florença, capital da Toscana
– Toscana, região que engloba várias cidades medievais, vinícolas, bons restaurantes e paisagens naturais
– Costa Amalfitana, localizada da região da Campânia, tem cidades charmosas à beira-mar

Quando ir a Roma:

Roma é uma cidade que pode ser conhecida o ano todo, que sempre tem pontos turísticos e atrações abertas. Suas estações são bem definidas: no inverno faz frio, no verão faz calor e na primavera e no outono as temperaturas estão em um meio termo. Qualquer que seja a época do ano, Roma estará de braços abertos para recebê-lo, com muitas coisas legais para fazer.

A cidade vive os seus dias de alta temporada durante os meses do verão europeu (julho e agosto principalmente), que é o período de férias escolares. Entretanto, embora nesse período as cidades estejam muito alegres, com muitas atividades nas ruas, elas também ficam mais cheias e se forem tomadas por uma onda de calor, podem ficar com temperaturas extremas, que passam dos 40 graus. Esse período pode ser legal se você também pretende aliar um destino de praia ao seu roteiro, mas pode ser realmente cansativo encontrar a cidade tão cheia e quente.

Uma boa ideia para evitar os altos preços e atrações lotadas dos meses de julho e agosto, é visitar Roma e outras destinos da Itália em meses em que está relativamente quente, mas em que o turismo é menor, como maio e setembro, por exemplo. O inverno (dezembro, janeiro, fevereiro) tem temperaturas bem amenas e não neva com frequência na cidade.

Compras em Roma:

Aproveitar a viagem para fazer compras em Roma é um ótimo pretexto para bater perna e conhecer melhor as ruas da cidade. Os shoppings e galerias marcam presença por lá, mas o centro histórico é onde a cidade tem a maior variedade de comércio, com marcas locais e internacionais, lojas de luxo ou econômicas.

No centro, a Via del Corso é um dos lugares que não deve faltar no roteiro de quem pensa em fazer compras. Essa rua longa no coração de Roma tem com lojas de todo tipo, de opções mais caras a mais baratas.

As ruas adjacentes e nos arredores da Piazza di Spagna formam um aglomerado excelente para compras, com lojas como Zara, Kiko, Louis Vuitton, Mango, Puma, Nike, Disney Store, Cartier e dezenas de outras opções. Essa área da Piazza di Spagna e da Via Condotti, da Via del Tritone, tem lojas de luxo e se você quiser encontrar as principais marcas de moda, bastará caminhar por ali para encontrá-las. Mesmo que não queira comprar nada, vale um passeio para admirar as vitrines.

A área do Campo dei Fiori é famosa por seu mercado que existe há séculos, onde vende-se de frutas, flores e queijos e o trecho ao longo da Via dei Giubbonari até a Piazza Benedetto Cairoli tem lojas locais, artesanato e produtos variados com um preço mais acessível.

Para quem gosta de mercado de pulgas, a dica é ir para a região da Porta Portese, onde fica o maior mercado aberto de Roma, que funciona sempre aos domingos, entre 9h e 14h.

Centros Comerciais e Outlets de Roma:

Alguns centros comerciais e outlets podem ser também uma boa oportunidade para compras, em especial os outlets que têm a proposta de oferecer produtos por preços inferiores aos tradicionais. Todos esses centros comerciais costumam ficar afastados do centro… então, se você não tem um objetivo definido, pode ser um passeio bem fora de mão.  Entre os principais shoppings estão o Euroma 2, Roma Est e Porta di Roma e entre os principais outlets, o Castel Romano Designer Outlet e o Valmont Outlet, ambos com ônibus que saem da estação Termini.

Ingressos importantes para comprar antes da viagem a Roma:

Uma dica fundamental para aproveitar os pontos turísticos de Roma é tentar fazer a compra do bilhete com antecedência, evitando assim enfrentar uma fila para a compra do ingresso, que pode ser longa. Alguns desses ingressos comprados com antecedência funcionam através de hora marcada, o que também é excelente para garantir que sua visitação ocorrerá de maneira facilitada, sem longas filas.

Em viagens na alta temporada, comprar ingressos com antecipadamente é ainda mais importante, porque a cidade fica lotada e algumas atrações têm limitação de visitantes. Mais um motivo para garantir seu ingresso! Opte sempre por comprar seus bilhetes através de sites oficiais das atrações — vários deles cobram um pequeno valor a mais pelo bilhete online (em torno de 2 euros), mas vale super a pena para evitar transtornos.

Entre as atrações que vale comprar o ingresso antes de visitar Roma estão:

  • Coliseu: O ingresso inclui a visita ao Coliseu, palatino e Fórum Romano. É o ingresso “clássico” de quem visita o Coliseu.
  • Coliseu à noite – Menos popular do que o ingresso “clássico”, a visita noturna é uma ótima opção para quem prefere encontrar a atração mais vazia. O passeio é feito com guia e inclui visitação a áreas que nem todo mundo tem acesso dentro do Coliseu na visita regular.
  • Galleria Borghese – O ingresso DEVE ser comprado com antecedência porque apenas 360 pessoas podem visitar a galeria por vez. Cada visita tem 2h de duração.
  • Museus do Vaticano – Atração sempre muito cheia, comprar o ingresso com antecedência evita uma fila do lado de fora do local. Se possível escolha visitar o lugar durante a tarde porque costuma ser mais vazio (ou menos lotado). Veja aqui nossas dicas sobre os Museus do Vaticano.
  • Udienza Papale – O acesso à Audiência Papal é gratuita e acontece às quartas-feiras a partir das 9h da manhã, mas se você quiser sentar-se próximo ao Papa, vale fazer uma reserva também. A reserva é feita por carta ou fax.

Passeios guiados em Roma – vale a pena?

Os passeios guiados são uma ótima maneira de conhecer melhor uma cidade ou uma atração turística. Em uma cidade como Roma, que respira história, pode ser superinteressante contar com a ajuda de um guia, que poderá explicar melhor sobre a história de cada atração, suas curiosidades e detalhes. Faz toda a diferença visitar atrações históricas na companhia de um guia e vários pontos turísticos de Roma oferecem essa facilidade do passeio guiado (confira sempre se há a a opção).

Outra dica ótima para os primeiros dias de viagem é fazer um tour a pé gratuito pelo centro de Roma, através do qual você tem a oportunidade de entender melhor a cidade e se localizar. Depois do chamado walking, você pode ficar à vontade para explorar Roma do seu próprio jeito.

Roma Pass – vale a pena?

O Roma Pass é um bilhete que permite “furar a fila” em um ou dois dos museus e oferece desconto em outras diversas atrações de Roma. Ele também permite o uso gratuito do transporte público da cidade durante sua validade (exceto para o Aeroporto) e desconto em eventos e serviços turísticos. O bilhete tem validade de 48h ou 72h a partir do seu primeiro uso, que pode ser no próprio transporte público. O bilhete de 48h permite furar a fila na primeira atração visitada e o de 72h nas duas primeiras atrações visitadas — nas demais atrações o usuário tem desconto na entrada, sempre pelo período do bilhete adquirido.

É um serviço que tem, sim, suas qualidades, principalmente por oferecer ao usuário a facilidade de usar o transporte da cidade e porque permite conhecer quase todas as principais atrações de Roma (exceto o Vaticano). O ponto negativo é que pela limitação de tempo do Roma Pass, sua programação pode ficar um pouco corrida. Vale sempre pesar os prós e contras.

O Roma Pass custa € 52 pelo bilhete de 72 horas ou € 32 euros pelo bilhete de 48h.

Esportes em Roma:

Assistir a um jogo esportivo em um país estrangeiro pode ser uma experiência inesquecível! Como a Itália divide com o Brasil a paixão pelo futebol, você pode aproveitar sua viagem para assistir a um jogo do AS Roma, por exemplo, um dos principais times do país. As temporadas esportivas são diferentes das praticadas no Brasil e os jogos ocorrem principalmente entre setembro e maio.

Gorjeta na Itália:

Não é um ato “obrigatório” entre os italianos deixar gorjeta para garçons na Itália, mas se você considerar que foi bem atendido e quiser fazê-lo, será uma atitude apreciada por quem te atendeu. Deixar 10% de gorjeta deixará seu garçom muito contente.

Água das fontes e banheiros públicos:

Roma tem várias fontes, algumas grandiosas e com o objetivo de enfeitar a cidade e outras mais simples, chamadas nasone, que são fontes de água potável com a mesma água distribuída nas casas da cidade. Elas são ótimas para abastecer sua garrafinha e não precisar gastar comprando água mineral enquanto caminha pelo centro da cidade, estão presentes em muitas ruas e praças públicas. A evolução dessas fontes são as case dell’acqua, onde o visitante pode pegar água natural e com gás, e recarregar seus smartphone.

Com essa opção das fontes d’água gratuitas em Roma, é necessário pensar também em banheiros! Através do app WC Roma você pode descobrir quais são os banheiros públicos funcionando na cidade e qual fica mais próximo da sua localização.

roma

Quantos dias ficar em Roma?

3 dias são suficientes para explorar os principais pontos turísticos de Roma, porém, o roteiro pode acabar sendo um pouco corrido e cansativo, especialmente àqueles que não estão habituados caminhadas. Se você tiver 4 dias disponíveis, o mesmo roteiro poderá ser cumprido de forma mais confortável e relaxada. Para conhecer atrações que saiam um pouco do habitual, considere ficar mais tempo.

Informações importantes sobre Roma:

País: Itália
População de Roma: 2,8 milhões
Precisa de passaporte? Sim
Precisa de visto? Não é necessário para viagens a turismo
Fuso horário: UTC/GMT +1
Embaixada da Itália no Brasil
Site oficial do turismo da Itália

Fonte:https://www.melhoresdestinos.com.br/roma-pontos-turisticos.html

Fonte: https://www.uol.com.br/roma-a-cidade-eterna-completa-2774-anos-de-existencia

LEIA TAMBÉM

Selma Cabral
Últimos posts por Selma Cabral (exibir todos)
5 1 vote
Classifique este artigo
Assine
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
Scroll to top
0
Por favor, comente.x
()
x