fbpx

Entenda os diferentes tipos de “perdão” nos relacionamentos.

Fotos colunistas elis borsoi

Por Elis Borsoi

perdão


Começo este texto com um trecho do livro “As Ordens do Amor” de Bert Hellinger, criador das Constelações Familiares:     

“Não se deve pedir perdão. Um ser humano não tem o direito de perdoar. Nenhum ser humano tem esse direito. Quando alguém me pede perdão, empurra para mim a responsabilidade por sua culpa. Da mesma forma, quando alguém se confessa, empurra para o outro as consequências de seu comportamento…No ato de perdoar existe sempre um desnível de cima para baixo, que impede uma relação de igualdade. Pelo contrário, se você diz: “Sinto muito”, você se coloca de frente para o outro. Então você preserva sua dignidade, e para a outra pessoa é bem mais fácil ir ao seu encontro do que se você lhe pedir perdão.”        

Clique e Assine o 40EMAIS e ganhe acesso completo ao conteúdo do Portal, como Workshops e Mentorias, além de muitos descontos em lojas, restaurantes e serviços!

Digamos que uma pessoa lhe fez mal e fale: “Por favor, me perdoe!”. Quando essa pessoa faz isso, ela se coloca em nível inferior e coloca em você a responsabilidade por sua culpa. Por outro lado, se você diz a essa pessoa “Você me fez mal e eu te perdoo”.  Neste caso você está se colocando superior a essa pessoa. Nestas falas de inferioridade e superioridade não existe a relação de igualdade e, por esse motivo, o perdão entre duas pessoas não é utilizado em uma Constelação Familiar.

         Durante uma Constelação Familiar uma das falas sistêmicas é “Sinto Muito”. Quando uma pessoa diz isso, ela assume sua responsabilidade pelo ato cometido, preserva sua dignidade e facilita o encontro da pessoa que foi afetada por esse acontecimento.   

         O movimento do perdão pode acontecer entre uma mesma pessoa, ou seja, durante seu relacionamento intrapessoal, que é o relacionamento com você mesmo(a).

         Por exemplo: durante a constelação foi constatado que você, durante a infância, vivenciou momentos de brigas entre seus pais e ficou com o sentimento que era responsável por isso e/ou que podia resolver este problema por eles. Neste caso você, como adulto(a), pode fazer o movimento de perdoar e acolher essa criança interior que se sentiu e ainda se sente assim. Outro movimento é você se perdoar por algo que vez dias, meses ou anos atrás. Dessa maneira você vai se libertando aos poucos dos sentimentos que tanto lhe incomodam como raiva, mágoa e dor.       

         Com esses novos conhecimentos você amplia sua consciência, ou seja, pode ter, a partir de agora, novas sensações, pensamentos e sentimentos com relação às situações acontecidas no passado e aprende a lidar com isso no momento presente de uma maneira mais saudável.

LEIA TAMBÉM

Elis Borsoi
Últimos posts por Elis Borsoi (exibir todos)
0 0 votos
Classifique este artigo
Assine
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
Scroll to top
0
Eu quero saber a sua opinião. Comenta aqui em baixo e vamos discutir esse assunto!!x
()
x