fbpx

Como podemos começar a nos libertar dos emaranhamentos familiares

Fotos colunistas elis borsoi 1

Por Elis Borsoi

familiaresEstamos na semana do Natal e muito se pensa sobre a vida, sobre os relacionamentos familiares e afetivos. Será que estamos tendo a nossa própria vida ou ainda estamos presos(as) e emaranhados(as) com as dinâmicas dos nossos familiares antepassados? A resposta é: ainda vivenciamos e praticamos de maneira inconsciente sentimentos, pensamentos e comportamentos das pessoas que vieram antes na nossa família. Dificuldades nos relacionamentos entre pais e filhos, afetivos, irmãos e doenças são exemplos disso.

De acordo com a visão sistêmica de Bert Hellinger, emaranhamento é quando uma pessoa que nasce depois, em um sistema familiar, retoma e revive inconscientemente comportamentos e o destino de uma pessoa que viveu antes e que sofreu ou cometeu alguma injustiça com algum antepassado. Exemplo: Um homem que matou alguém e/ou cometeu suicídio ou era viciado em álcool/drogas. Essa pessoa foi difamada e excluída deste sistema, pois causou transtorno e sofrimento nesta(s) família(s). Neste caso, um filho(a), neto(a) ou outra pessoa de outra geração pode nascer e repetir o mesmo comportamento de maneira inconsciente. Foi a maneira que a consciência desta família encontrou para incluir esse homem e curar este sistema, ou seja, praticar a lei sistêmica do pertencimento.

Adoecer gravemente, sentir necessidade de reparação/compensação de algo que aconteceu nas gerações anteriores; se identificar com ex-relacionamentos do pai, mãe, avô, avó ou outro(a) antepassado(a); seguir um familiar na morte por meio de uma doença grave ou suicídio; trair, matar ou maltratar alguma pessoa; se autossabotar na vida profissional ou afetiva fazendo de tudo para que os relacionamentos acabem ou fiquem ruis e doentios; vícios em cigarro, álcool, drogas lícitas ou ilícitas e distúrbios alimentares como obesidade, anorexia e bulimia são exemplos de consequências de emaranhamos existentes em um sistema familiar.

Neste contexto, é muito importante olhar para esses emaranhamentos com consciência, incluir, honrar e agradecer esses antepassados que nos deram a vida para começar a colocar em ordem este sistema, ou seja, praticar as Leis Sistêmicas de Bert Hellinger: Pertencimento, Hierarquia e Equilíbrio entre Dar e Tomar (Receber) que podem ser também sabiamente vivenciadas numa Constelação Sistêmica Familiar (presencial ou online) e/ou em uma Terapia Sistêmica.

Espero ter colocado mais luz na sua consciência para ter um Natal mais iluminado!!

Feliz Natal e cuide de você e da sua família!!

Até a próxima semana! 

LEIA TAMBÉM

Elis Borsoi
0 0 vote
Classifique este artigo
Assine
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
Scroll to top
0
Por favor, comente.x
()
x